Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: Bohemian Rhapsody

Ja vi este filme há mais de uma semana, mas só agora consegui parar por uns segundos e vir aqui falar-vos sobre esta maravilha de filme.

 

 

Acho que o filme dispensa apresentações, mas ainda assim... Bohemian Rhapsody conta a história de Freddie Mercury, dos Queen, desde a formação da banda, em 1968, até ao Live Aid em 1985.

 

Apesar de gostar dos Queen desde sempre nunca me interessei muito pela história deles e do Freddie Mercury, pelo que não sei se a história é verdadeiramente fiel à biografia oficial ou não, mas posso dizer-vos que é uma história louca, o que torna o drama que foi a história deste grande homem numa história um tanto cómica. Freddie Mercury, foi  um homem que sofreu muito e é o exemplo de que podemos estar muito sós no meio de uma multidão. Confesso que apesar de lhe conhecer alguma excentricidade que desconhecia que ele era assim tão excêntrico como referido no filme.

 

A caracterização do ator está brutal, há mesmo alturas que parece o próprio Freddie Mercury. Os efeitos sonoros são brutais e parece mesmo o próprio a cantar, mas aqui tanto quanto consegui apurar não é o ator que canta propriamente, mas sim a sua voz misturada com a de Marc Matel, conhecido imitador de Freddie Mercury.

 

Fui ver o filme a uma sala Atmos, e o som foi incrível. Recomendo mesmo a verem o filme, essencialmente se forem fãs da música (é possível não ser?), mas mesmo que não sejam o filme vale pela história.

 

E daqui, quem já viu o filme? Quem quer muito ver levante o braço!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.