Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: Moonlight

Já que hoje estou pouco dada a saltinhos e alegrias, vamos deprimir mais um pouco.

 

Nunca tinha ouvido falar do filme Moonlight até o blog Crónicas de um Café Mal Tirado ter falado sobre ele e fiquei com um bichinho de curiosidade. Apetecia-me ir ao cinema, falei com algumas pessoas para me acompanharem não podiam, então muito bem, meti pés ao caminho e fui eu. Ir ao cinema sozinha tem as suas desvantagens, não se pode dissertar sobre o filme quando as luzes voltam a ligar-se, mas tem uma grande vantagem, podemos ver um filme totalmente do nosso agrado sem pensar se o outro vai gostar. Queria ir ver o Manchester By The Sea, mas ainda faltavam muitas horas para ver, e então optei entre o La La Land e o Moonlight, mas como estava um pouco deprimida, optei por ver um filme a condizer comigo, igualmente deprimente. E coloquem depressão nisso, até saí de lá com dores de cabeça. Mas que drama! Mas que drama!

 

 

Moonlight é um filme que conta a história de Chiron desde a infância até à idade adulta, relatando de forma intensa e sublime a forma como os acontecimentos alteram a nossa maneira de estar na vida, e podem modificar todo o nosso futuro.

 

Chiron, conhecido desde pequeno por Little, é um menino extremamente inseguro, vitima de bullying que vive atormentado pelos colegas na escola. A mãe, uma toxicodependente em decadência, não acompanha o seu crescimento e o pequeno Little acaba a ter de aprender a desenvencilhar-se sozinho. No seu percurso encontra um casal disposto a ajudá-lo - Juan e Teresa - mas Little tem dificuldade em deixar-se ajudar. No entanto é no seio deste casal que experiencia o que é ter uma família e o que é ter alguém ao lado dele, e com o desenrolar do filme vamos perceber que Juan vai influenciar muito as escolhas do pequeno Little que entretanto cresce e torna-se naquilo que não se queria efetivamente tornar.

 

Se gostam de dramas, este é sem dúvida um filme a não perder. Relata a vivência dos jovens no meio da droga, a violência que se vive nas ruas, nos guetos, e nas escolas. Relata também o que é ser homossexual num meio destes e de como a repressão sexual é o único caminho a seguir para se poder continuar vivo.

 

O filme é bastante intenso e permite chocar as mentes mais sensíveis. Chocou-me essencialmente o confronto com a realidade, por saber e ter a certeza que assim é a realidade: Podes ser a melhor pessoa do mundo, fazem de ti o que querem e bem lhes apetece e não lhes acontece rigorosamente nada. Um dia tu tomas medidas para pararem de te fazer mal e o que é que acontece? Tu é que és o culpado. Aqueles que toda a vida te fizeram mal não são responsabilizados.

 

O filme é muito lento, tem um desenrolar a passo de caracol, que faz com que nos ajeitemos na cadeira vezes sem conta, mas apesar de lento não me aborreceu um só segundo! A única coisa pela qual fiquei feliz foi por não ter levado pipocas, é que para ajudar à depressão, o filme quase não tem banda sonora, e eu iria perder mais tempo em concentrar-me a não fazer barulho com as pipocas em vez de me concentrar no filme. Por isso é um conselho que vos dou, e olhem que eu sou daquelas que cinema = pipocas, não levem pipocas para este filme, vai desconcentrar-vos, vai desconcentrar quem está ao lado, todo o filme é quase um silêncio absoluto!

 

Bom filme!

 

P.S: Para a próxima que desenvolvam mais o filme com o moço em adulto que era beeeem giro! 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 10.02.2017

    Sim, tem várias nomeações mas.... os concorrentes são tão fortes que não sei... Mas relativamente à realização acho que merecia, porque normalmente um filme contado em três fases pode tornar-se confuso, e este não, acho que foi muito bem construído.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.