Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Turismo no Porto - Quando uma cidade não se preocupa com os seus turistas

Turismo.jpg

 

Quem viu o Porto e quem o vê, percebe que o turismo tem aumentado de ano para ano. Quem conheceu o Porto quase deserto, com as ruas pedonais pouco movimentadas, estranha ao ver que o Porto é agora diariamente uma verdadeira romaria. Há quem não goste de ver o Porto com tantos turistas, há quem seja contra, e há quem, como eu, fica feliz com este aumento, porque isso atrai ainda mais pessoas - portuguesas - às ruas, talvez por se sentirem mais seguras. Com o aumento do turismo, a animação de rua que eu tanto aprecio, aumentou também. As ruas são agora mais alegres, têm vida.

 

Em 2014 o Porto ganhou o prémio de melhor destino europeu, promovido pelo European Best Destination. Já um ano antes o Porto estava em alta, e dois anos depois o turismo continua a aumentar. 2015 fica registado na história como o melhor ano de sempre no que respeita ao número de visitantes estrangeiros, tendo sofrido um aumento de quase 17%, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística, face ao mesmo período de 2014. Acredito que os valores respeitantes a este ano, sejam ainda mais animadores.

 

Com o aumento do turismo, existiu um grande aumento da oferta de lojas de souvenires, de hostels, de restaurantes, e de outros negócios locais de promoção da cultura portuguesa, como as casas de fado, as mercearias gourmet, entre outros. Seria por isso de prever que deveria de existir igualmente um aumento do acompanhamento dos turistas a outros níveis e assegurar-lhes que chegam ao Porto e que estes dispõe de informações sobre a cidade e o apoio necessário à sua estadia, uma vez que estão num país que não é o seu, com uma língua que muitas das vezes não é a sua. No entanto isto não acontece.

 

Como sabem trabalho com turistas, maioritariamente, falo mais inglês, espanhol e francês do que português no meu dia-a-dia, e recebo por isso muitas reclamações da cidade ao nível dos serviços. Não reclamações no verdadeiro sentido da palavra, diria mais desabafos, de quem cá chega e não sabe para onde se dirigir. Felizmente a cidade é pequena, acabam por se conseguir orientar.

 

Então vamos lá começar do princípio, e perceber do que se queixam afinal os turistas no Porto.

 

Ora bem, o turista é "depositado" no centro do porto através de algum serviço de ligação do aeroporto, táxi ou simplesmente através do transporte público. Para conhecer a cidade, e porque o transporte turístico não é acessível a todos - uma vez que o grande público do Porto é o chamado turista de mochila às costas - os turistas querem comprar o bilhete diário do metro que pode ser também utilizado nos autocarros.

 

 

A primeira grande dificuldade:

 

Tirando algumas exceções, as estações de metro são atualmente pouco acompanhadas, raramente existe pessoal de apoio nas estações para os ajudar a tirar bilhetes e pior, muitas das vezes as estações não permitem a compra do cartão andante, porque as máquinas não estão preparadas para emitirem tantos cartões e estes esgotam rapidamente, permitindo apenas recarga daqueles que já possuem o cartão. Acho que é fácil de compreender que se são turistas a probabilidade de terem cartão andante é reduzida. Na estação aqui perto da loja, todos os fins-de-semana é a mesma história: as máquinas não têm troco para dar, estão constantemente com a compra de bilhetes indisponível e não há ninguém que os ajude. Quando nos pedem ajuda, sugerimos sempre que andem a pé até à próxima estação mas... A sério?! Nunca tal me aconteceu em Londres, em Madrid, nem em Milão!... Pior, nessas cidades europeias quando chego a uma estação do metro tenho à minha disposição um mapa da rede de metro que me permite saber para onde ir, como ir, que linhas estão disponíveis, onde se cruzam... Aqui, ou vão a uma estação grande com loja, ou então não há mapas para ninguém. Que se amanhem que a rede não é muito grande.

 

 

Segunda grande dificuldade:

 

Relembro-vos que  nicho de turismo no Porto são os mochileiros, e o que é que pressupõe que os mochileiros tenham? Mochilas, exatamente!... Contrariamente às grandes cidades, como Lisboa, o Porto não está preparado para ajudar os turistas a livrarem-se das suas mochilas. O aluguer de cacifos no Porto é quase inexistente face à procura. Aqui creio que a Câmara do Porto poderia e deveria de intervir. Porque não colocar lockers nas estações do metro? E nas estações de comboio? São Bento já teve, confesso que não faço ideia se ainda as tem ou não, mas Campanhã não tem e é uma estação maior.

 

 

Terceira grande dificuldade:

 

Os postos de turismo escondem-se e de acordo com muitos desabafos, aqueles que existem não possuem pessoal competente que os saibam dar devidamente as informações que necessitam. Faço muitas vezes de posto turismo, ajudo-os a encontrar restaurantes, auxilio-os na compra de bilhetes, na procura de hostels, na sugestão de destinos perto do Porto, o que ver, o que comer, o que fazer. Traçamos-lhes autênticos roteiros nos mapas que eles nos trazem - sim, felizmente nós os três temos esta sensibilidade de ajudar quem por cá se sente perdido -  e sabem o que muitas das vezes nos dizem? Vocês é que deveriam de trabalhar no Posto de Turismo... Lá ninguém se mostrou disponível para nos ajudar... A primeira vez que ouvi isto pensei: Oh lá apanhou alguém mais mal disposto... uma vez sem exemplo. Quando comecei a ouvir estes comentários mais frequentemente comecei a perceber que alguma coisa, realmente, não estava bem. Pelo que me dizem, estão mais preocupados em tentar vender-lhes bilhetes para autocarros e comboios turísticos do que efetivamente em ajudá-los a descobrir o Porto.

 

E assim é a crítica dos estrangeiros que nos visitam: Dizem que temos uma cidade lindíssima, uma cultura fantástica, uma comida divinal, que encontram pessoas fantásticas e calorosas, muito hospitaleiras, que as pessoas nos restaurantes se mostram preocupados, que nos hotéis são muito bem servidos, mas que se sentem desacompanhados quando precisam de ajuda na cidade.

 

Dizem que o turismo ajuda a melhorar a economia... Por isso se calhar está na altura de a Câmara começar a arranjar maneira de tratar melhor os nossos turistas!

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 03.11.2016

    Os preços são astronómicos é verdade, e ainda assim, podes não acreditar, quando vou a Lisboa vejo os vossos suvenires à venda bastante mais baratos que os que eu vendo... E fico assustada. Da última vez que aí fui vi uns panos de cozinha iguais aos que eu vendo por um 1€, e eu aqui vendo-os a 3,25€... Acho que se quer fazer negócio com tudo!. Quando estive em Londres trouxe 12 postais por 1£, aqui na loja custa cada um no mínimo 0,4€... Acho um abuso de preços, acho que querem ganhar demasiado só que se esquecem que os turistas que vêm para Portugal são turistas de Low Cost, são turistas pobres, que já não gastam o dinheiro em lembranças que os seus pais gastavam. Os tempos mudaram e acho que as cidades não estão a acompanhar essas mudanças.


    Aí nessa situação que relataste vejo o problema como sendo dos dois lados: se por um lado há realmente muita falta de informação, essencialmente da rede de transportes, por outro lado houve uma falta de trabalho de casa dos turistas... Eu quando vou para Londres fico sempre fora do centro, que dormir no centro é para esquecer, e faço sempre em casa pesquisa dos transportes que tenho de apanhar, onde tenho que sair e quais as ligações que existem. Claro que depois chego lá, tenho um mapa da rede de transportes que me permite olhar para os meus apontamentos e perceber como me movimentar... Aí provavelmente mesmo com o trabalho de casa feito, a falta de material de informação iria fazer com que se sentissem na mesma perdidos.


    E nem quero entrar na questão dos taxis que os preços ... Jesus... E depois fazem turismo. Em vez de irem do ponto A ao ponto B, acham bonito passar pelo ponto C e D que a viagem é mais bonita... :\
  • Imagem de perfil

    Maria Araújo 03.11.2016

    Essa da viagem do ponto A ao B, passando pelo C e D, fazem também connosco.
    E quando alguém os chama à atenção, protestam.


    http://cantinhodacasa.blogs.sapo.pt/comeco-pelo-fim-1124406
  • Imagem de perfil

    Mula 03.11.2016

    Eu cá sou escaldada e quando ando de táxi fico sempre com a sensação que vou ser enganada xD ahahahahaha Gosto de andar de táxi quando conheço, porque lhes digo logo "vire ali sff, e vá por aqui!"
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.