Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Prostituição e sexo nem sempre estão relacionados

Semana passada, num dos dias mais quentes que alguma vez senti aqui no Porto, passei de carro numa autoestrada e na berma uns homens estavam a limpar a vegetação. Ali, debaixo daquele sol horrível, com um calor insuportável. Sem sombra. Sem água. Sem o mínimo de condições laborais.

 

Isto para mim é prostituição. Ou, sinceramente, é ainda pior, porque uma prostituta que vende sexo pode ter mais condições laborais e de saúde do que estas pessoas.

 

Para mim prostituição é vender o corpo em troca de dinheiro. Seja para fazer apenas companhia, seja para trocas sexuais, ou simplesmente prejudicarmos a nossa saúde em troca de dinheiro. Tal como as prostitutas, estes homens provavelmente não têm grande escolha, não o devem fazer por gosto mas por necessidade porque também têm contas para pagar.

 

Este tipo de trabalhos são desumanos. Trabalhar na torreira do sol deveria de ser proibido. Os raios UV causam cancro. Isto não é brincadeira. O excesso de sol e ausência de líquidos causam desidratação, e a desidratação por sua vez pode causar múltiplas complicações ao nível de vários órgãos. Não há dinheiro no mundo que pague a saúde que perdemos no dia-a-dia.

 

Mas ó Mula as estradas têm de ser limpas, essencialmente no verão...

 

Têm, claro que têm. E porque não fazê-lo de noite, quando o sol já não vai alto? E que tal criarem uma espécie de estaleiro onde as pessoas se possam ir constantemente refrescar e hidratar?

 

Trabalhar com este tipo de condições, seja na obras, seja na limpeza e manutenção de estradas é simplesmente desumano!

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.