Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Portugal: Empresas, trabalho e disponibilidade

Screenshot_1.png

 

Quando as empresas mais precisam das pessoas, é quando mais as transformam em zombies. Quanto mais as empresas precisam que as pessoas sejam produtivas, é quanto mais as cansam e as transformam em seres em piloto automático, pouco produtivas.

 

Quanto mais as pessoas precisam de descansar é quanto mais as pessoas trabalham.

 

A minha empresa está com um volume de trabalho anormal. E eu há 3 semanas estive de baixa, e precisei de mais uns dias para além da baixa, fiquei a dever à empresa. Quando é que compensamos a empresa? Quanto a empresa precisa. E quando é que a minha empresa precisa? Agora!

 

Estou há 2 semanas a trabalhar 6 dias por semana e mais horas por dia. Estou cansada. Os meus colegas estão cansados. Eu ainda não fiquei curada totalmente mas insisto. Insisto até que um dia quebre. Não vivemos num país onde possamos ficar doentes, essencialmente quando temos contas para pagar. E por isso é que eu preferi dever alguns dias à empresa em vez de me descontarem todos no salário. E mesmo não recuperada ali estou a trabalhar mais do que as minhas forças, mais do que o meu cérebro aguenta. 

 

Dói-me os olhos... O pescoço, as costas. Estou cada vez mais rabugenta, e com a paciência a baixo de zero. E os meus colegas iguais.

 

Sim... A empresa precisa de nós, mais do que nunca, mas nós estamos mais indisponíveis que nunca, apesar de aparentemente estarmos a trabalhar muito mais horas que o normal...

 

Ninguém percebe que assim não é nada produtivo. Que mais horas não é produtivo. Que menos descanso não é produtivo...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.