Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Pode ser uma forma de elogio... Mas não gosto!

Há quem deposite demasiada importância em nós. Há quem respeite demasiado a nossa opinião, que a solicita a todo o momento. Há quem se importe demasiado com o que nós pensamos e isso confesso, aflige-me. Não gosto dessa responsabilidade.

 

Há quem nos recomende um determinado restaurante e nos questione depois constantemente: já foste? já provaste? gostaste? que dizes? que achaste? E quando inocentemente dizes algo que não vai de encontro ao que as pessoas esperam ouvir, o inevitável acontece: ah não entendo! se calhar não escolheste bem. tens de experimentar o outro, o outro vais ver é que é, não vais querer outra coisa. E isso nem sempre é verdade. Nem sempre a nossa opinião muda. Há quem nos entregue livros dos seus autores favoritos e nos peça ai lê! ai vais gostar! diz alguma coisa depois! e nós a medo lá aceitamos o dito, aquilo até nem tem nada a ver com o nosso estilo mas propomo-nos a ler e a dar uma opinião e depois a magia acontece: já leste? já avançaste mais? estás a gostar? essa parte é gira, mas o que vem depois é muito melhor! vais ver! não é o teu estilo mas tenho a certeza que vais adorar! Há ainda aqueles que por saber que cozinhas, vêm ter contigo tirar dúvidas dignas de um verdadeiro chefe de cozinha; vou fazer isto e aquilo para o jantar com o fulaninho tal. que achas? vai gostar? e para sobremesa faço o quê? e se eu alterar aquele e o outro ingrediente por x, por y e por z? que achas?

 

Não gosto desta responsabilidade. E se eu odiar o restaurante que a pessoa tão energicamente me sugeriu e que dizia ser o melhor do mundo? E se eu odiar aquele livro que para a outra pessoa é tão especial? E se o jantar for um fracasso pelas minhas dicas e opiniões?

 

O contrário também acontece e o efeito é o mesmo: vou comer não sei onde, o que recomendas? onde achas que é melhor? e nós lá vamos emitindo esta e aquele opinião e nem sempre a pessoa gosta, e tantas vezes a desilusão acontece: não fomos nada bem atendidos! os pratos eram medíocres e vinham frios! e acabamos a sentir-nos responsáveis pela má experiência daquela pessoa como se tivéssemos sido nós a atendê-los, a confecionar-lhes os pratos. Quando é comigo, fico ainda mais desiludida e preocupada que os próprios. O mesmo acontece com os livros: acabei o que estava a ler, diz-me agora aí um bom para ler! Mas o que é bom para mim pode não sei bom para ao outro e nem sempre as sugestões vão de encontro ao que pretendem apesar de existirem zero pistas. Prefiro que me perguntem sobre algum livro específico, se gostei ou não, e aí é só a minha opinião, e não a minha sugestão.

 

Por aí em diante...

 

Não gosto quando depositam em mim mais importância do que aquela que tenho, que é tão pouca... Mas confesso que por vezes posso fazer o mesmo com os outros de modo inconsciente quando vos digo e vos escrevo sobre coisas que me apaixonam e vos digo "vão!", "leiam!", "vejam!" e "experimentam!" Acho que por vezes sou péssima a gerir expectativas. Faço, no fundo o mesmo, quando experimento algo que não correu bem e exponho aqui publicamente a minha desilusão, seja com um restaurante, seja com um produto, seja com um livro. Pode ser o restaurante/produto/livro preferido de alguém e isso vai criar alguma deceção e incompreensão. Por isso, sou no fundo, a pior pessoa para falar sobre isto, mas a verdade é que quando o pedido me é dirigido tão especialmente e tão efusivamente, que me deixa receosa e desconfortável.

 

Sou esquisitinha, bem sei... Mas não acredito, sinceramente, que seja a única a pensar assim.. Serei?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.