Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

O incerto, o talvez e o quem sabe

Descobri que não lido bem com o incerto. Acho que sempre fui assim, mas só agora, recentemente, é que tive consciência desse facto. 

 

Sou aquela pessoa, que quando está ao volante gosta de saber que tem de virar após 500m e que depois disso tem uma rotunda e que é para seguir em frente. Se for parar a um beco sem saída então está o caos interno instalado. Gosto de saber que vou chegar a uma determinada hora e que me vai ser possível fazer A, B ou C. Odeio o logo se vê, ainda que por vezes o pratique, por mais urticária que me cause. Reparei recentemente, que tenho por hábito rever mentalmente a rotina do dia seguinte: a que horas preciso de acordar, a que horas tenho de estar num determinado lugar, onde vou almoçar, com quem, e com que pessoas preciso de me relacionar. Dou por mim inclusive, e inconscientemente, a ensaiar discursos que poderei ter com A ou com B se nos cruzarmos. Odeio ser apanhada desprevenida. Odeio os planos furados e os contratempos... Que para além de me contrariem me deixam ansiosa e por vezes até bloqueada. No entanto fico cansada só de pensar em tudo e depois quando acontece é como se estivesse a viver tudo novamente, mas muito mais tranquilamente. 

 

As rotinas deixam-me por isso confortável, não sou das que se incomoda com elas - ainda que preferisse ter como rotineira vida as indas e vindas de uma praia qualquer num local paradisíaco.

 

Tomei consciência desta atitude  quase irracional, de querer sempre saber com o que contar e o incerto, o talvez, o quem sabe, deixa-me apreensiva. Tento contrariar mas nem sempre consigo. Soubessem vocês, na escola, a quantidade de vezes que eu ensaiava a apresentação de um trabalho, tudo era cronometrado, eu sabia exatamente o que dizer em cada situação e quanto tempo ia demorar. Curiosamente os professores adoravam. Sempre achei que era uma pessoa que gostava de surpresas - boas, claro - e a verdade é que acho que gosto - gostarei? - mas essas têm de ser boas, muito boas, para ultrapassar toda e qualquer ansiedade que daí possa advir. Sei lá, gosto de receber presentes inesperados, não me chatearia se na avenida que eu sempre passo de repente tivesse uma praia - what??? - nem que a minha casa se transformasse num palacete ou se um dia chegasse e tivesse uma parede de cada cor. Gosto desse tipo de surpresas... Mas só deste tipo... Sou estranha eu sei. 

 

Tenho noção de que tudo isto é tão desnecessário, porque tudo fica bem, tudo sempre fica bem... É só uma Mula a sofrer por antecipação. Mas não consigo controlar... 

 

Por outro lado, quando tenho alguém que assume este papel, que assume todas e quaisquer preocupações, sou totalmente o oposto, como se descarregasse todas as baterias. Assim o Mulo assume este papel quando estamos juntos. Pouco me importo se ele conhece o caminho, se tem onde estacionar, pouco me importo quando vou de férias se o local onde vamos dormir é de fácil acesso e como é que vamos. Ele assume este papel de preocupado e eu finalmente posso descansar e relaxar. Deve ser por isso que dizem que os opostos se atraem... 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 01.06.2017

    Se vou a um lugar novo, saio meio dia antes! Image
    É horrível.... Image
  • Sem imagem de perfil

    Anita 01.06.2017

    eu também sou assim... e tenho que planear todo o percurso... enfim! Image
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.