Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Não sei se me ria, não sei se chore #4

Contei-vos que fui fazer uma aula de zumba na praia, num sunset, certo? O que não vos contei foi que antes de lá chegar, tive um quiproquó com um vizinho.

 

Quando estava para ir embora, chego à garagem e está um carro a impedir a saída da minha carrinha, ou seja, mesmo estacionado em frente ao meu lugar. É habitual o carro ali estar, mas o vizinho costuma estar por perto. Olho em volta... Nada! Vou lá fora ver se o vejo... Nem sinal do homem. Eu sei quem o senhor é, mas não fazia ideia de onde morava até porque a garagem é comum, mas são três blocos de apartamentos, com 5 entradas distintas.

 

Aguardei 15 minutos que alguém aparecesse para tirar a carro para eu poder sair, e findos esses 15 minutos achei que já era abuso esperar nem que fosse mais um segundo. Andei por isso pelos prédios ao lado - no meu bloco eu sabia que ele não morava - a perguntar pelos vizinhos se alguém sabia de quem era aquele carro*.

 

Recordam-se como é que eu ia vestida? A juntar à vestimenta justinha de licra, andava eu com o cabelo amarrado - tendo em conta que tenho o cabelo curto é mais o cabelo solto que amarrado - e desgrenhado. Andei linda, a desfilar pela zona onde moro naqueles fantásticos preparos.

 

Eu sabia que era um sinal que eu não deveria de ter saído assim à rua!

 

*E após tocar a três campainhas, lá encontrei o sujeito, nos entretantos ainda fui atacada por um mini-cão, que devia achar, pela maneira fluorescente que ia vestida, que era um animal qualquer a abater!

 

__________________________________________

Já participaste no passatempo da Mula? Não? Vê aqui como podes ganhar um conjunto da Alma Gémea da Amorim.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.