Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Mulheres e crianças vs homens

Quem tem mais valor?

 

Homens?

 

Mulheres?

 

Crianças?

 

Sempre que lemos ou ouvimos uma notícia de algum acidente ou catástrofe, habitualmente as mulheres e as crianças são destacadas.

 

Por exemplo:

Morreram 30 pessoas, das quais 5 mulheres e 2 crianças.

 

É claro que na equação também conseguimos perceber quantos homens no final morreram, por exclusão de partes, mas as mulheres - e os menores - são claramente destacadas.

 

Crianças? Entendo, choca mais. A morte de um menor choca sempre mais que a morte de um adulto. Mas... E a morte de uma mulher face à de um homem? Choca mais morrer uma mulher do que morrer um homem?

 

Não sou jornalista. Não percebo nada de jornalismo, mas para mim uma vida é uma vida. E se a morte de crianças me faz sentido destacar porque é nossa obrigação, enquanto adultos, de os protegermos, uma morte de um adulto é igualmente chocante seja homem ou mulher e por isso não me faz sentido destacar, ou então colocar os três na equação: Morreram 30 pessoas: 23 homens, 5 mulheres e 2 crianças e aqui parece-me que estamos perante estatística e não sensacionalismo...

 

Mas pergunto-vos:

Quanto vale uma vida? Quem vale mais nestas equações? É justa esta diferenciação/destaque?

6 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 08.01.2020

    "A relevância das vidas é consoante os interesses e a relevância de discriminar os sexos e idades é a mesma relevância de dizer que alguém de etnia cigana ou africana assaltou um banco. "

    Concordo completamente. Esse tipo de afirmações só servem para fomentar ainda mais a descriminação e o ódio. "alguém de etnia cigana ou africana assaltou um banco" gera logo comentários "claro, só podia ser preto ou cigano!" e não é verdade, há imensos brancos, caucasianos, bem nacionais a cometer tantos ou mais crimes que pessoas com etnias, raças e afins. São dados estatísticos minados de descriminação e por isso para mim estão completamente obsoletos.
  • Sem imagem de perfil

    Konigvs 08.01.2020

    Imagina que em vez de ser um estudante preto que foi assassinado em Bragança (ainda que não se saibam bem as circunstâncias) tinham sido quinze pretos (ou 15 migrantes) que tinham morto um estudante branco. Será que os média também tinham ficado caladinhos que nem ratos como o fizeram? Duvido!
    Conheces o caso do "Arrastão de Carcavelos"? Eu conheço e li muito sobre o caso. Foi tudo inventado, mas durante semanas as televisões relatavam que centenas de pretos roubaram as pessoas. Até que se começou a investigar e chegou-se à verdade, tendo inclusive a polícia ter que ter ido à assembleia da república reportar que tudo não passou de uma manipulação. Contudo ainda hoje encontro pessoas que falam do caso como se tivesse sido verdade. Porque a notícia enche primeiras páginas, já o desmentido muitas vezes nem sequer acontece.

  • Imagem de perfil

    Mula 08.01.2020

    Conheço sim, sem dúvida. Confesso que desde essa altura que sempre que vou à água - na praia - tapo todas as minhas coisas e tento não levar muito de valor para a praia,porque as notícias me fizeram pensar nisso que para mim a praia era - e sempre foi, felizmente nunca tive problemas - um lugar seguro. Aliás em tempos deixei as tralhas de praia no areal e fui ao café almoçar e pelos vistos a maré subiu mais do que o previsto e alguém - não faço ideia quem - puxou as minhas coisas para cima. Só tenho boas experiências mas claro que essas notícias espalham o terror. Sejam brancos, pretos, amarelos ou cor de rosa eu sou politicamente correta e coerente: desconfio de qualquer pessoa que não conheço, tento ter cuidado, não deixar espaço para ter problemas.... Mas os media não nos tranquilizam nunca e apontam sempre para os mesmos, não há dúvidas.
  • Sem imagem de perfil

    Konigvs 08.01.2020

    Um sujeito doido varrido que foi eleito chanceler alemão escreveu no seu diário enquanto estava na prisão:
    "Uma propaganda hábil e perseverante acaba por levar os povos a julgar que o céu é, no fundo, um inferno, e que a mais miserável das existências é, pelo contrário, um paraíso... Porque a mentira mais descarada deixa sempre rasto, mesmo se foi reduzida a nada" (Mein Kampf)
    E é isso que eu vejo todos os dias! Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo, mas nos média (sejam jornais ou programinhas deprimentes da manhã) parece que vivemos numa verdadeira guerra civil! Portugal tem, segundo a OCDE, um dos melhores serviços públicos de saúde do mundo, uma mortalidade infantil das mais baixas do mundo, mas olhado para os média, parece que estamos pior que nos Estados Unidos, onde chamar uma ambulância custa 2500€, ter um filho custa entre 10 e 30 mil euros, e onde as pessoas estão a morrer por nem sequer terem dinheiro para comprar insulina!
    Está tudo bem em Portugal? Claro que não está! Mas também não vivemos no inferno que alguns querem pintar. E infelizmente só se noticia e intoxica a opinião pública com notícias negativas. As boas parece que não interessam.

  • Imagem de perfil

    Mula 09.01.2020

    É isso mesmo! As boas notícias nem chegam, nem são notícia, no máximo um breve rodapé. O bom português quer: Boa comida, boa comida e uma boa desgraça. É assim há muitos anos e temo que continuará a ser assim durante muitos anos.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.