Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Lutar contra o excesso de peso #21

1496.gif

(imagem retirada daqui)

 

Mudei de vida há quase 11 meses. Comecei este longo percurso no dia 7 de Junho de 2017. Parece que o número sete dá sorte! É muito tempo? É! Há quem consiga mais em menos tempo? Há! Mas apesar de todos os entraves, estou muito feliz com o que já consegui. São 10 meses de luta diária. De esforço constante. O melhor destes 10 meses, é que mesmo quando os resultados não são satisfatórios são resultados em que nunca andei para trás. Ao longo destes 10 meses só aumentei de peso uma única vez e foi no primeiro mês de ginásio devido ao aumento da massa muscular. 

 

Desde então:

  • Perdi um total de 13kg e uns pozinhos - Já só faltam 9kg e fico feliz;
  • Baixei o IMC de 31,1 para 25,6 - Estou quase, quase a ter um IMC dito normal;
  • Reduzi a gordura visceral de 7,5 para 5,0 - Estou a reduzir as probabilidades de sofrer de um ataque cardíaco;
  • Diminui 15 cm na cintura - Mais perto do sonho de ter uma cinturinha de vespa;
  • Estreitei 8 cm na anca - Na realidade não deve dar para perder muito mais, que eu tenho anca larga, e mesmo quando era magra já usava o 38/40 de calça.

 

Mas para além do corpo, há muitas outras alterações:

  • Durmo melhor.
  • Ando muito mais bem disposta, porque tenho mais energia.
  • Já não ando constantemente enjoada e com azia.

 

Não vou negar: Os primeiros 10kg foram os mais fáceis de perder, hoje em dia já não é tão fácil assim.  A verdade é que a minha alimentação mudou como da noite para o dia e o corpo percebeu isso. Por isso e apesar de não fazer exercício físico a coisa foi correndo bem. Agora a perda de peso está mais lenta, mas vai acontecendo, só preciso é de ter paciência. Paciência é uma virtude, dizem.

 

Vamos a um resumo do que aconteceu ao longo destes 10 meses?

 

No primeiro mês perdi 4kg e uns pozinhos. Foi o mês em que perdi mais peso. No segundo mês perdi 2kg e mais outros pozinhos apesar de ter tido um casamento pelo meio. Em suma, dois meses e 6 kg tinham seguido o seu percurso sem mim e isso motivou-me a continuar, apesar de nesse segundo mês a coisa não ter corrido assim tão bem. Não desanimei. Continuei. No terceiro mês perdi mais 3kg e uns quantos centímetros em todo o corpo. Acho que foi por esta altura que comecei verdadeiramente a sentir-me mais magra. As roupas começaram a ficar muito mais folgadas, as calças a precisarem de cintos com mais furos e as pessoas já começaram a reparar e a elogiar. Faz-nos sempre bem ao ego os outros repararem que estamos mais magros. 

 

Depois fui de férias. No quarto mês de reeducação alimentar fui de férias. Aqui é que a porca começou a torcer o rabo. Exagerei um pouco nas férias. Deliciei-me com os petiscos dos Açores e foi aqui que o meu metabolismo embruxou, basicamente. Então os resultados da consulta pós-férias foram os piores de sempre: Nesse último mês perdi apenas 200g! 200g! Ainda hoje me apetece bater com a cabeça na parede. Mas... Porque na vida existe sempre um mas, os resultados não foram assim tão maus porque tive um aumento bastante significativo da massa muscular, e pelo que percebi aqueles 200g equivaliam a uma perda de 1kg, algo assim do género. Mas ainda assim 1kg num mês é pouco. Para mim era pouco. Mas eis que no quinto mês volto a perder apenas 1kg novamente. Nos inícios de Novembro, 5 meses após a grande mudança, 10kg já tinham ido para não mais voltar.

 

Depois disso foi sempre a sofrer para perder os restantes!

 

No mês de Novembro não perdi peso. Foi por isso no quinto mês que o meu metabolismo encravou de todo, pois por essa altura já deveria de estar abaixo dos 70kg e isso não aconteceu. Entrei por isso em Dezembro exatamente com o mesmo peso que tinha em Novembro para minha grande lapada na cara. 0g foi o que eu perdi. Felizmente 0g foi também o que eu ganhei, e prefiro ver o jogo por este lado. Por isso ao quinto mês, foi tempo de reformular o plano e torná-lo mais restrito. E assim em Dezembro, no sexto mês voltei finalmente a perder algum peso significativo. Perdi 1,5kg e consegui não engordar no Natal! Cheguei a Janeiro com menos umas gramas, nada de especial, mas que foi uma grande vitória já que no Natal comi que nem um alarve, confesso. Terminei assim o ano mais leve... 11,5kg mais leve. 

 

E foi em Janeiro que decidi inscrever-me no ginásio.

 

Após um mês de ginásio, e pela primeira vez, aumentei de peso. Aumentei 200g, é verdade, mas também é verdade que aumentei mais de 1kg de massa muscular por isso até aqui considero o resultado positivo. Felizmente este ganho foi uma vez sem exemplo e ao segundo mês de ginásio já perdi 500g e nos 15 dias que se seguiram, mais 1kg. Alcanço por isso, aos 10 meses de dieta - e agora de dieta e exercício - o marco dos 13kg perdidos.

 

Por esta altura, e de acordo com o meu plano inicial e com as expectativas das primeira nutricionista, eu já deveria de ter alcançado o meu objetivo em Dezembro de 2017 e em Abril de 2018 ainda estou a 9kg do meu objetivo mas... Que importa? Prefiro devagar e lá chegar, do que ser demasiado exigente e acabar a desistir.

 

Mas sabem o que acho mais curioso?

Como podem ver aqui com este semi-resumo, eu perdi a maior parte do peso entre Junho e Outubro, e só agora, 10 meses volvidos, é que as pessoas vêm continuadamente ter comigo perguntarem-me o que é que eu fiz porque estou bastante mais magra. É certo que estou a afinar a silhueta - uiii silhueta, como se eu tivesse disso! - com o exercício físico, mas ainda assim a mudança mais significativa ocorreu sem sombra de dúvidas lá atrás.

 

E é isto...

 

A Mula está cansada... Vai devagarzinho... Mas a Mula chega ao destino! Só precisa de tempo. E vocês? Já se juntaram à Mula para terem um #corpodeverão2020?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.