Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Livro Secreto II #6 Em teu ventre de José Luís Peixoto

Terminei de ler o Em Teu Ventre de José Luís Peixoto e não sei que vos diga acerca deste livro secreto, sinceramente... Foi o primeiro livro que li deste autor, e apesar de ter alguma curiosidade - muito devido ao mediatismo -, não tinha grande opinião do autor , por já ter folheado alguns outros livros e me ter assustado - talvez isso também não tenha ajudado. Não vos quero com isto dizer que o livro é mau, também não senti que o fosse, acho que é apenas um daqueles casos em que "o problema não és tu, sou eu!" porque tantas opiniões boas sobre este livro só podem querer dizer que eu é que estou errada.

 

 

Em Teu Ventre retrata as aparições de Fátima de um ponto de vista social. Não pretende ser um estudo ou uma opinião acerca da veracidade/falsidade dos factos, mas sim retratar a sociedade da época, e a forma como as pessoas reagiram à notícia do aparecimento da Nossa Senhora a Lúcia, Jacinta e Francisco, numa época de grande pobreza e necessidade do povo português. Retrata também as relações entre mães e filhas da época e de como as crianças naquela altura não eram crianças mas sim adultos em ponto pequeno.

 

Não achei a visão nova, contrariamente ao que é difundido na contracapa do livro, mas também não a achei totalmente desinteressante. Fala da necessidade que o povo português tem - ainda hoje é assim - de se juntar todo em busca de uma espécie de justiça social, fala da importância que a igreja tinha naquela época e da influência do padre da terra. Fala de fé, de esperança e de estupidez. No livro é retratado o que muitas pessoas queriam perguntar a nossa senhora, e se uns queriam perguntar se o filho ia sobreviver à guerra - fé e esperança - muitas pessoas queriam perguntar se a Nossa Senhora usava botins e também pastava ovelhas - estupidez. Mas no fundo, o que queriam era conceber - e acho que ainda hoje acontece - uma imagem de Nossa Senhora à luz da imagem dos homens, com qualidades e defeitos, porque - para quem acredita, pois claro - só isso poderia justificar não ouvir determinadas preces e não conceder determinados "desejos".

 

A base da história é realmente interessante, a forma de desenvolvimento da mesma não gostei. É demasiado poética -e olhem que eu gosto de poesia -, é para mim demasiado enrolada ao ponto de se tornar confusa: Há vários narradores e nem sempre é claro quem é quem. Para mim tornou-se tanta vez uma salada de fruta quem dizia o quê, mas a verdade é que também pouco importava para a relevância da história porque percebemos na mesma onde se quer chegar, mas estes diferentes narradores originam histórias paralelas que interrompem a história base e isso eu não gostei. Senti tantas vezes que estava a ler por ele, que o autor escrevia, escrevia e não dizia nada. Acho uma escrita demasiado folheada, mas no entanto isso torna a leitura do livro fácil, leve, e é para mim um livro que entretém... Só que não surpreendeu, não me prendeu ou envolveu.

 

Definitivamente o problema sou eu não ele, não sou fã deste tipo de livros. Procuro nos livros algo mais do que palavras bonitas e sinto que este nada me acrescentou. Não me parece que vá voltar a ler José Luis Peixoto.

 

Quem já leu? Qual a vossa opinião?

[Vá, sejam meiguinhos a atirar as pedras, que elas às vezes também aleijam]

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.