Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Livro: As Gémeas do Gelo de S.K. Tremayne

Diz o senso comum, que não se deve julgar um livro pela capa, mas a verdade é que as capas são a forma mais eficaz de comunicar - primeiramente - com o leitor, e assim que vi a capa deste livro senti vontade de o ler. Não conhecia a trama, não conhecia o autor, mas senti-me atraída pela capa. Assim que li a sinopse percebi que tinha mesmo de ler este livro. Na altura não o comprei, porque tinha alguns livros em lista de espera, mas no início deste mês vi este livro a um preço espetacular no OLX que acabei por aproveitar a oportunidade. A oportunidade de comprar um livro novo - novinho mesmo, parece que nunca foi folheado - a preço de usado. Adoro estes negócios.

 

 

As Gémeas do Gelo conta a história de Sarah que tinha duas filhas gémeas idênticas - Lydia e Kirstie - que fisicamente ninguém as distinguia, apesar de caracteristicamente serem bastante diferentes. Lydia era introvertida e Kistie muito mais extrovertida e irrequieta.  Tudo corria bem para este casal, até que uma das gémeas cai abaixo de uma varanda em casa dos pais de Sarah e morre. Assim, aos 6 anos Lydia é dada como morta e o casal passa por uma grande crise. O pai, Angus começa a beber, a mãe Sarah entra numa profunda depressão. Acontece que um ano depois, e após terem perdido o emprego e todas as poupanças recebem uma herança: uma pequena ilha esconcesa com uma casa e um farol em muito mau estado, mas que esperam recuperar para conseguir vender por um bom preço uns anos mais tarde. Sem grandes alternativas decidem assim mudar-se para essa pequena ilha na esperança de começarem do zero e recuperarem do trauma que é perder uma filha. Acontece que Kirstie, a suposta sobrevivente, começa a dizer que não é a Kirstie, que os pais cometeram um erro e que ela é a Lydia e começa efetivamente a comportar-se como Lydia - mais introvertida, sempre agarrada aos livros - e os pais ficam confusos. A filha parece também não compreender quem é e não consegue relacionar-se com outras crianças sem as assustar. A ida para a nova escola transforma-se assim num inferno e a gémea começa assim a parecer cada vez mais perturbada. Afinal quem sobreviveu foi a Lydia ou a Kirstie? Leiam e descubram.

 

O livro tem no total três narradores: Sarah, um narrador externo e Angus o que permite ter uma visão diferente e abrangente da história. No entanto grande parte da história é-nos contada pela visão de Sarah, a mãe devastada pela morte da filha.

 

Apesar de o livro estar categorizado como sendo um thriller, eu classifico-o como um drama, porque a verdade é que apesar de ter algum suspense no final, quase todo o livro se foca na dor daquela mãe e daquela filha que se refere a si como um plural demonstrando uma grande confusão interna. Por isso se buscam um livro totalmente arrepiante e assustador, este não é o livro. É, no entanto, um livro arrepiante do ponto de vista sentimental, que demonstra como a nossa mente pode ser muito traiçoeira e a nossa realidade não ser a realidade efetiva. As descrições de sentimentos e das angustias permitiram-me sentir uma grande empatia pelas personagens e sentir verdadeiramente o drama daquela família. Tantas e tantas vezes que fiquei com um nó na garganta.

 

Este livro toca num grande ponto fraco dos pais: os seus filhos favoritos. E se vocês descobrissem que afinal o vosso filho favorito não tinha morrido e tivesse morrido o outro? Sentiriam menos dor? E se isso implicasse fazer novamente o luto de um outro filho, apesar de nada ter mudado realmente? E se vocês descobrissem que não conheciam verdadeiramente os vossos filhos ao ponto de não os distinguirem? Estas questões são retratadas no livro: as dificuldades do luto e a necessidade de esclarecimento de algo que não vai amenizar a dor mas só vai causar novos problemas. Os problemas de identidade, e até mesmo o que os pais são capazes de fazer para proteger a família.

 

Ao longo do livro vamos tecendo várias teorias sobre o que realmente aconteceu e apesar de o final não ser totalmente inesperado, a verdade é que de um certo ponto nos surpreende. O final deixou-me agoniada, precisei de o reler novamente para assimilar o que verdadeiramente aconteceu e a ambiguidade do mesmo dá-lhe um ar místico e enternecedor. Ficamos sem compreender se o que acontece se deve a algo sobrenatural, se à loucura, se ao desespero, se apenas ao amor.

 

As descrições do livro são fantásticas - até para mim que odeio descrições - pois permitem-nos fazer parte do cenário, sentir o que as personagens estão a sentir. O grande ponto fraco é o mistério - já que é classificado como thriller - pois o grande clímax da história só acontece no final, com a descoberta do que verdadeiramente aconteceu, e não vão dando pequenos mistérios para se irem resolvendo ao longo do livro, por isso dentro desta categoria desilude um pouco.

 

O que mais me assustou no livro é o confronto com a facilidade com que criamos premissas que se tornam verdadeiras - mesmo podendo não ser - e a facilidade com que essas premissas passam a assumir o controlo da nossa vida. Assustou-me o facto de uma pequena desconfiança, um mero mal entendido, possa deitar por terra tudo o que achamos sobre os outros e como distorcemos a nossa realidade e a dos outros. Acho isso bastante assustador.

 

Leiam o livro, vale bem a pena.

 

Já agora... alguém sabe se é suposto este livro sair para o cinema como a Rapariga no Comboio? Visualmente, tendo em conta as paisagens descritas, dava um filme lindíssimo - se bem conseguido, obviamente.

9 comentários

  • Imagem de perfil

    Heidiland 27.09.2016

    Encontrei o livro no olx por 6,50 Image 
  • Imagem de perfil

    Mula 27.09.2016

    Foi exatamente a essa pessoa que eu comprei o meu. Os livros são mesmo novos!... Mas onde é que esta gente vai desencantar os livros?! Image
  • Imagem de perfil

    Heidiland 28.09.2016

    Se calhar se esqueceu de retirar o anúncio ou tinha mais do que um livro. Na minha pesquisa encontrei anteriores vendedores que estavam a vender esse livro por apenas 6,50 e 7,50. O que realmente é bastante barato para um livro novo e recente. 
  • Imagem de perfil

    Mula 28.09.2016

    Pois olha não sei... Mas já a quem comprei os livros de zafon por 7€ cada, eram novos e tinha um montão de livros novos... 
  • Imagem de perfil

    Heidiland 28.09.2016

    Eram todos iguais? 
  • Imagem de perfil

    Mula 28.09.2016

    Não... Eram todos diferentes. Mas eram para aí uns 30 livros todos aparentando serem novos! 
  • Imagem de perfil

    Heidiland 28.09.2016

    Eu também estimo os meus livros e pode ser esse o caso. Leio e depois não quis guardar e então vende. 
  • Imagem de perfil

    Mula 28.09.2016

    Certo. Eu também, mas um livro lido ganha sempre alguns vincos na capa, algum cheiro... e não era o caso. Por isso não sei... e alguém que gastasse 18 € num livro não o iria vender por 6€... mas se calhar estou enganada. Olha não sei, mas sei que continuem a fazê-lo que eu adoro estes negócios! xD
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.