Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Futilidades #2 - A Mula foi às Boutiques

Boutiques.jpg

 

De manhã escrevi sobre vernizes - sobre um verniz em particular - e dei-lhe o título de futilidades, porque é isso mesmo que é, é um comportamento fútil, porque umas unhas pintadas não adianta nem atrasa uma pessoa, não é verdade? No entanto, como também referi, é algo que realmente me deixa mais confiante e quando estou mais confiante, sou mais feliz.

 

Ora muito bem, vamos lá para a segunda futilidade do dia: A compra de modelitos e acessórios para um casamento que está aí à porta. 

 

Para a próxima semana tenho um casamento de um grande amigo meu e fui hoje fazer as compras para o mesmo. Muitos hão de estar a pensar "É sempre na última da hora..." e apesar de estarem cobertos de razão, explico-vos que como estou em processo de emagrecimento, não queria estar a comprar muito tempo antes, sob pena de não me servir na altura. Estou perdoada? Muito obrigada. Saí assim do trabalho por volta das 15h e lá fui eu, toda pimpona passear pela baixa do Porto, para ver o que é que se arranjava para a minha pessoa. Como nas lojas de roupa normais - Zara, Blanco, ... - não encontrei nada que gostasse, lá fui eu para as Boutiques da Baixa.

 

Adianto-vos já que cheguei a casa com o vestido e com os sapatos mas que não foi, de todo tarefa fácil. "E então porquê?" não perguntam vocês. Mas eu respondo vos na mesma e organizadinho por tópicos para ser mais fácil.

 

Sobre mim:

 

1. Descobri que sou do tipo de cliente que até eu, odiaria atender: não gosto de nada, nada me serve e nada me fica bem. Conclusão: Entro, experimento e saio sem comprar nada.

 

2. Relembrei-me do quanto odeio provadores: São demasiado quentes e demasiado apertados. "Ah! Você está mesmo a suar!" disse uma vendedora. [Pensamento enquanto sorria: "A sério? Com este calor não seria suposto?"]

 

3. Contrariamente ao normal das mulheres, odeio ir às compras. Dizem que é terapêutico, mas na realidade eu vou feliz para as compras e chego a casa, após um dia de compras, imensamente deprimida. Se eu fosse rica, e passasse só o cartão sem pensar em mais nada, acho que também iria adorar, mas até lá, odeio.

 

4. Descobri que contrariamente ao que pensava, não sei lidar com a pressão criada por boas vendedoras e que basta dizer "É o último par que temos", que eu mesmo cheia de dúvidas compro. [Acabei de comprar uns sapatos caríssimos, com um salto gigante, ainda que bastante compensados na frente, só por ser o último par, e "por sorte" eram o meu número. Quando digo à vendedora que não sei se vou saber andar bem naqueles tamancos, diz-me confiante "Tem uma semana para treinar." Senti-me derrotada! Agora vou obrigar-me a levar aquilo no dia do casamento e lá vou eu parecer um pinguim a fugir do degelo... Toma lá Mula, que é para morderes a língua!]

 

5. Fui a três casamentos no ano passado, e contando com este, será o 4º casamento que vou de preto. Descobri por isso, que sou muito criativa e inovadora...

 

Sobre as vendedoras:

 

1. Há vendedoras que têm um mau gosto terrível. Mostraram-me modelitos que nem a minha mãe, com 50 anos, ficaria bem neles. Feios, com umas cores horríveis e com uns padrões ultrapassadíssimos. [Pensamento enquanto sorria: "Tenho menos de 30 anos, podes-me trazer qualquer coisa para a minha idade? Obrigada!"]

      

2. Numa das lojas que eu entrei a vendedora escondia uma antipatia e arrogância atrás de um sorriso amarelo que se topava a milhas que era falso e falava, demonstrando ainda mais a sua arrogância - pelo nariz. Quando digo que queria um vestido até um máximo de 60€ olhou para mim com um ar de "coitada". Se não fosse eu precisar mais delas, do que delas de mim, teria entrado e saído em menos de 5 segundos, apesar de tudo, experimentei uns 3 vestidos, não gostei e não levei. [Pensamento enquanto sorria: "Nem sabes o gozo que me deu não gostar de nada. Espero que ardas no inferno!"]

 

3. Não têm noção da realidade da população portuguesa. Nas várias lojas por onde passei, senti que as senhoras estariam habituadas a vestir apenas top models e não sabem ser minimamente agradáveis com tamanhos anormais como o meu. Uma disse-me "Não sei se tenho o que procura, é que o seu tamanho não ajuda..." [Pensamento enquanto sorria: "Puta, obrigada por me fazeres lembrar que estou acima do meu peso normal, mas deixa me lembrar te que não sou nenhum abominável monstro das neves, e há pessoas bem mais gordas que eu... eu já visto um 40 'tá?"].

 

4. São completamente sem noção. Apesar de achar que não tinha nada para mim, lá encontrou um vestido que apesar de eu dizer que não cabia lá dentro ela contra-argumentou e disse "Este serve-lhe de certeza". Só para que fique registado... não serviu, o vestido era realmente bonito, mas as mamas ficavam esborrachadas! [Pensamento enquanto sorria: "Obrigada por me teres feito sentir ainda pior, porque afinal sou mais gorda do que pensavas."]

 

5. Fingem que sim, mas não ouvem nada do que lhes dizemos. Uma vendedora mostrou-me uns 4 ou 5 vestidos de renda após eu ter dito odiar renda. [Pensamento enquanto sorria: "És parva, burra ou apenas surda?"]

 

6. Há realmente boas vendedoras. E encontrei uma que apesar de achar que não teria grande variedade dentro dos preços que eu pretendia, disse com um ar todo fofo que o meu tamanho não seria nenhum problema porque eu só tinha "um pouco de anca" mas que tinha "um corpo bonito, com curvas" [Pensamento enquanto sorria: "Hum! Estou a gostar, podes continuar."], no final, conseguiu-me arranjar uns 8 vestidos para eu provar, dos oito apenas não me serviu um, e gostei, essencialmente de dois: um preto e um vermelho. Optei pelo preto, a senhora ainda me fez um desconto e saí da loja com um ar feliz e vitorioso.

 

 

Descobri também que...

- ... As lojas "chiques" não se chamam lojas de roupa, mas sim boutiques, mas que é exatamente a mesma coisa mudando apenas os preços e o atendimento, que é mais reles.

- ... Apesar de dizerem que está na moda, não há nada de vermelhos à venda.

- ... Há pessoas que usam no dia-a-dia roupas que eu usaria nos casamentos.

- ... Contrariamente ao que eu pensava, odeio casamentos.

- ... Sou afinal, muito paciente e consegui não ser mal-educada com nenhuma vendedora, ainda que tentasse compartilhar da mesma arrogância.

- ... Gosto que me bajulem!

 

See you Tomorrow

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.