Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Fraqueza

Fraqueza

Sinto-me a ficar mais fraca.

 

Cada dia que passa, vejo cada vez pior, oiço cada vez pior, e as minhas pernas parecem não se querer mover. Sinto-me a desvanecer. Tu, que pareces igualmente mais fraco, parece que deixaste de querer ver, de querer ouvir e as tuas pernas parece que já não andam à minha procura.

 

Acho que nos acomodamos. Tenho medo de me ter acomodado, que te tenhas acomodado. Tenho medo que nada valha a pena e que ao fim da recta haja um precipício inevitável. Há um precipício! Eu sinto o precipício! Queres voltar para trás? Quererei eu, voltar para trás? Que queremos nós, afinal?

 

Sinto que és igual a mim: vais (sobre)vivendo, vais respirando de quando em vez para não te deixares morrer, para não me deixares morrer. E eu, vou também como tu, morrendo lentamente.

 

Tu não sabes, mas às vezes olho para o espelho e não vejo lá ninguém. Sabes como são matreiros os espelhos. Às vezes mentem... Mas não está lá, efectivamente, ninguém. Eu estou vazia. Dentro de mim já não há ninguém.

 

Peço-te para fazeres em mim *knock-knock a ver se a minha alma desperta. Mas tu não me ouves, tu não te moves, e eu não desperto! E vou morrendo lentamente...

Sinto-me a ficar mais fraca. Sim, sinto-me a ficar mais fraca...

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.