Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Eu mula me apresento!

Mula

Nada melhor, do que começar por me apresentar, não é verdade?

Olá meninos e meninas com pouco para fazer e que se encontram neste momento a ler estas palavras.

 

Foi em 1988, numa sexta-feira às 00:15 minutos, que nasceu uma pequena mula que fora desde sempre muito desejada pela sua mãe, mas muito pouco querida pelo seu pai, e desde então começou o seu fado.

 

Essa pequena mula de 49 centímetro era eu. Muito chorosa de dia e de noite, criou muitas tensões aos seus pais… e alias… forçou-os a casar…

 

A pequena mula nunca percebeu se foi realmente a causadora de todos os problemas deles, porque quando saiu de casa, eles souberam bem criar os seus problemas sozinhos… até que se divorciaram…

 

Entretanto o pai Mulo morreu, e a mãe mula continuou a criar os seus problemas, com outro tipo de especialização, qual licenciada em "complicalização" familiar, prestes a terminar o mestrado em desconfiança nível 100. Claro está, que o fato de ser mulher também não ajuda o processo de "desproblemetização" que a jovem mula lhe tenta incutir.

 

Apresentando-me um pouco mais....

Apesar de nunca me ter dado muito bem com o meu pai (e estou a ser simpática para não desrespeitar a sua memória) e sempre me ter relacionado lindamente com a minha mãe (esquecendo naquela maravilhosa fase, a que chamam adolescência, onde carinhosamente a cheguei a odiar), creio ter adquirido, através dos dois gâmetas fecundados o melhor e o pior dos dois.

 

Dizem que sou muito parecida com o meu pai - Sou orgulhosa, teimosa, frontal, nervosa e felizmente creio não ter herdado nada mais. A qualidade que retiro destas fabulosas características é a frontalidade (que já me fez perder amigos que adoram palmadinhas nas costas e paninhos quentes).

 

Da minha mãe, ganhei aquela maravilhosa qualidade que é...... Ser chorona! Dá sempre imenso jeito em discussões com o marido, pois ajuda a acalmar as coisas!

 

Dela, herdei também um grande coração e uma generosidade imensa, só que a minha, ao contrário da dela, vem com limitador. Da mesma forma que a minha paciência tem limites a minha generosidade também. Vejo esse limitador, igualmente, como uma qualidade.

 

Como maior defeito herdado da mãe mula, ressalvo o nervosismo e incapacidade de esquecer coisas que doem... É que ainda por cima, nervosismo a dobrar... Sai uma mula extremamente explosiva em discussão.

 

Bem, penso que para primeiros apertos de mãos, as apresentações estão feitas, irão certamente conhecer-me melhor noutros momentos.

See you*

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.