Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Em estado de choque

Não sou de comentar a atualidade. Este blog não é sobre isso, mas há coisas que me chocam... Por isso não vejam esta publicação como um comentário a uma notícia, mas antes como uma reação chocada à notícia.

 

Estou chocada...

 

Quando achamos que já vimos tudo aparecem estas notícias em rodapé para nos lembrar que há muito mais nesta vida para ver.

 

Para quem não viu/leu e não lhe apetece clicar ali no link para ler, eis um curto resumo: Uma criança de 9 anos diz que é homossexual e suicida-se 4 dias depois.

 

Primeira reação: 

Mas o que é a sexualidade/heterossexualidade/bissexualidade para uma criança de 9 anos? O que é que uma criança sabe de si com 9 anos?

 

A identidade sexual para mim forma-se na adolescência, e uma criança com 9 anos à partida não é adolescente. Para mim a orientação sexual está relacionada com sentimentos e pensamentos eróticos, relativos a sexo, e não a sentimentos de amizade ou de brincadeira.

 

Uma criança do sexo masculino com 9 anos que calça os sapatos da mãe e veste as suas roupas e quer pôr unhas postiças não é homossexual - pode ser, mas não é isso que irá definir a sua sexualidade. Uma criança do sexo masculino com 9 anos que calça os sapatos da mãe e veste as suas roupas e quer pôr unhas postiças é uma criança a praticar o tão famoso role-play. Está a experimentar. Faz parte. Claro que pode já existir algum tipo de tendência ou afinidade perante um determinado sexo, mas não há uma definição sexual definitiva da criança. Da mesma forma que uma menina de 9 anos que ande atrás de rapazes para lhes dar beijos na boca, não tem de ser heterossexual.

 

Freud é bem capaz de estar a remoer-se na tumba por isto que eu aqui escrevo, mas é realmente a minha forma de ver. Para mim uma criança é assexuada, torna-se um ser sexual quando efetivamente alcança a puberdade e consecutivamente a adolescência. Não é isso que a irá definir.

 

Parece-me, por isso, que há aqui uma grande falha parental no que toda a explicar à criança o que é ser um ser sexual, não sei o que aconteceu porque não estive, obviamente, presente mas o que diz na notícia é que a mãe "apesar de ter começado por achar que o filho estava a brincar, acabou por perceber que não era o caso e disse-lhe que o amava" [in Visão

 

Parece-me bem dizer que se ama a criança, passa a ideia, tal como deve ser, que cada um tem o direito de escolher o que quer ser, e que cada um deve viver de acordo com o que sente, sem medos ou receios. Mas creio que aqui faltou a parte do "ora vamos lá então conversar sobre isso, o que é para ti ser gay". Uma vez mais refiro, isto pode ter acontecido, baseio-me apenas na notícia.

 

 

Segunda reação:

Mas o que caralho sabem as outras crianças sobre o que é ser homossexual ou heterossexual para fazerem bullying ao ponto de uma criança - UMA CRIANÇA! JÁ VOS DISSE QUE FOI UMA CRIANÇA? - de 9 anos se matar... Claramente culpa dos adultos que os rodeiam que incutem que A, B ou C é errado, apesar de os maiores errados serem os próprios. Se eu educar o meu filho a dizer que um judeu - foi o que me ocorreu agora, tá? - é mau, filho meu vai repetir que um judeu é mau. Se eu incutir o ódio no meu filho, o meu filho vai passar a odiar um judeu. Mas... e o que é um judeu para o meu filho? Não faz ideia... O mesmo aqui se passou. Da mesma forma que uma criança não sabe para si o que é a sexualidade e qual a sua orientação os amigos da sua idade também não saberão, agora... repetem os comportamentos dos adultos, pois claro!

 

 

Terceira reação:

A mesma notícia termina com "A escola adianta que tomou medidas extraordinárias para ajudar os alunos a lidar com a morte do colega."  [in Visão]  Medidas para ajudar os alunos a lidar com a morte do colega? E medidas para combater esta criminalidade em tenra idade? E que medidas são tomadas para isto não se repetir, seja nos Estados Unidos, seja em Portugal, seja na China? Os pais dessas crianças não são responsabilizados?

 

 

 

É quando vejo estas notícias que o meu útero se amarfanha, encolhe e diz baixinho: É melhor não pormos nenhuma criança neste mundo, que este mundo não é bom para as crianças!

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 29.08.2018 19:55

    "E tenho muita pena de dizer isto, mas metade dos pais nem sonham o que os filhos dizem quando estão na escola "

    Verdade. Sei bem que é verdade. Mas muitas das vezes só reproduzem o que vêem em casa, o que vêem na televisão... A verdade é que mesmo a televisão pode ser muito perigosa, não é só deixar as crianças verem, é deixarem ver e explicar, falha-se muito na segunda parte...
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.