Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Dizem que o desemprego é grande...

... Mas a empresa onde trabalho tem imensas dificuldades em recrutar. E não, não é porque é demasiado exigente, é mesmo porque não há candidatos e os que se candidatam... descandidatam-se!

 

Por isso é que, sinceramente, muitas das vezes não acredito no desemprego de longa duração de pessoas jovens nas cidades. Acredito mais rapidamente no desinteresse de longa duração pela procura de trabalho fora das áreas em que as pessoas estudaram, isso sim.

 

O meu departamento está a precisar de reforço desde há uns meses para cá. Colocaram um anúncio e pediam alguém que falasse línguas. Quase não houveram candidaturas. Das que houveram, lá selecionaram duas pessoas. Nenhuma apareceu para formação. Uma pessoa disse logo mal foi escolhida que já não estava interessada, e a segunda pessoa esperou que o primeiro dia da formação chegasse para dizer que afinal já não ia. 

 

Colocou-se um segundo anúncio, esquecendo a questão das línguas porque pelos vistos era isso que estava a provocar ausência de respostas. Aqui já houveram mais alguns candidatos. Deu-se formação a duas pessoas e um mês depois uma dessas pessoas já desapareceu. Num dia estava a trabalhar e no outro dia... Puff! Desapareceu. Não mandou uma mensagem a avisar que não ia mais, não atendeu chamadas, não respondeu a ninguém. Nada de nada. Não fossem as redes sociais e achávamos que a moça tinha morrido. Não, a moça é apenas irresponsável.

 

E é assim que no espaço de mês e meio a empresa onde trabalho lança o terceiro processo de recrutamento.

 

Ai Mula a empresa onde trabalhas deve ser mesmo horrível!

 

Não é! Não é, de longe, a empresa com os melhores salários, mas as regalias são boas, o ambiente é bom, o trabalho, apesar de stressante, não é complicado. As instalações são boas, tem boas comodidades, boas acessibilidades. E caramba, até tem bons colegas sempre prontos a ajudar, ou não fosse a Mula uma dessas colegas.

 

E é assim... Pode não estar fácil para os funcionários, mas pelos vistos também não está fácil para os patrões...

 

Nas empresas onde vocês trabalham também acontece o mesmo?

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Purpurina 18.08.2018

    Sim, há trabalhos para os quais já sabemos que não vão funcionar. Eu trabalhei num Call center durante quase dois anos e dava o meu melhor. Goste ou não goste do trabalho faço sempre o melhor que consigo. Cheguei a receber um prémio por ter tido a nota máxima de um cliente mistério. Mas odiava e trabalho e, quando saí, estava à beira da depressão. Foi, sem dúvida, um dos piores trabalhos que tive na vida. Ainda hoje me custa falar ao telefone e mal consigo passar pela porta do antigo trabalho. :D Acho que fiquei com trauma.
    Tenho amigas que adoram. Para mim não dava mais.
    Por isso, se achas mesmo que não tens perfil, não te candidates mesmo. Deve ser dos trabalhos mais stressantes do mundo.
  • Imagem de perfil

    Mula 18.08.2018

    "Goste ou não goste do trabalho faço sempre o melhor que consigo. "

    Somos duas. Se não é para dar o melhor prefiro despedir-me e dar o lugar a outra pessoa que queira e precise de trabalhar.

    E sim, quando não queremos fazer um determinado trabalho, não nos candidatamos, ponto final. Agora concorrer, ser aceite e desaparecer é tudo menos profissional. E atenção, que não invalida que a pessoa não experimente, odeie e se vá embora, mas ao menos que assuma e diga "não dá para mim, não venho mais" amigos na mesma... o problema é esta falta de compromisso que as pessoas têm...
  • Imagem de perfil

    Purpurina 18.08.2018

    Sim, a falta de responsabilidade é muito pouco profissional e ética. Parece até coisa de crianças e é certamente coisa de quem não precisa mesmo de trabalhar... só pode.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.