Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Desafios de uma recém divorciada #5 As tralhas

 
Este fim-de-semana foi o fim-de-semana que escolhi para ir buscar - finalmente! - as minhas tralhas. Andei a adiar, a adiar, a adiar... Na realidade, andei a adiar o que é inadiável e finalmente ganhei coragem e lá fui.
 
Não vos posso dizer que tenha sido um processo fácil. Só a mentalização foi um bicharoco enorme, e entrar numa casa que outrora foi minha e que já não o é, não foi um bicharoco enorme, foi mesmo um monstro gigante. Não é fácil descobrir que a casa que outrora foi nossa está tão diferente, com coisas diferentes, com cheiros diferentes. Toda a casa é uma casa diferente. E não teria de ser de outra forma, mas não vos posso mentir: mexeu bastante comigo.
 
O outro grande desafio foi encontrar forma de trazer as minhas coisas, descobri que tinha muito mais tralhas do que imaginei. Lá se foi a minha lombar... Pareço uma velha, toda manca, toda torcida, toda entravada. 
 
Fi-lo sozinha.
 
A mãe ajudou depois a carregar o carro, mas estive sempre naquela casa agora estranha, sozinha, e tantas lembranças com que me deparei. As nossas fotografias amontoadas no armário que outrora fora meu. Fotografias de momentos muito felizes. Fotografias são mais do que meras recordações... Fotografias são murros no estômago. E tantos murros no estômago que levei neste fim-de-semana.
 
Cheguei a casa e percebi que muita coisa ficou para trás, desde roupa, a calçado a tantos outros objetos. Ou seja, mais tarde ou mais cedo, vou ter de passar por um novo processo, desta vez mais simples, espero.
 
Agradeço-lhe o facto de me ter deixado fazer isto sozinha, teria sido muito mais difícil se ele estivesse presente. 
 
Chorei. Não vos posso mentir. Chorei muito. Revoltei-me muito. Mil e uma coisas me passaram pela cabeça. Uma parte de mim agradeceu este momento, outra parte de mim arrependeu-se de todo o processo. Outra parte de mim revoltou-se com o facto de me estar a sentir arrependida porque sabe perfeitamente que é só pelo calor do momento e que nós já não tínhamos solução possível...
 
Fomos felizes. Fomos muito felizes...
 
... Mas deixamos de o ser.
 
Chegou a altura de fechar este capítulo e seguir em frente, e encontrar novos capítulos, novos desafios, uma nova vida.
 
Só lhe desejo tudo de melhor que esta vida lhe possa dar.
 

5 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 25.03.2019

    Oh não tem qualquer problema. É uma escolha minha tornar isto público e tornar os meus sentimentos públicos. É normal a tua questão/dúvida.
    Na realidade, sim, fomos muito felizes apesar de sermos desde sempre muito diferentes, mas chegou a uma altura que essas diferenças sobressaíram demasiado e concluímos, ou eu concluí vá, que queríamos coisas muito diferentes na vida. Eu sempre fui cedendo, ele não cedeu o que eu precisava que ele cedesse e chegou a um ponto que a rotura não foi evitável... Ainda achamos que podia resultar, ainda concordamos voltar a tentar, mas de nenhum dos lados houve esforço. E o fim definitivo foi a solução. Um beijinho
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 26.03.2019

    Obrigada pela resposta e sobretudo pela simpatia.
    Sabes porque? Porque isso assusta-me um pouco. Eu e o meu namorado somos um pouco diferentes. Será que algum dia isso poderá acontecer?
    Ás vezes tenho medo que a longo prazo as diferenças se tornem um grande problema e isso aconteça. :(
    Um beijinho e obrigada.
  • Imagem de perfil

    Mula 26.03.2019

    Oh... Não tenhas medo. A vida foi feita para viver, não para termos medo dela ^_^ não tem de o ser... Por isso um conselho que te posso dar é não pensares muito nisso.
    No nosso caso as diferenças eram estruturais. Nomeadamente no que diz respeito à família. Eu por mim já teria sido mãe há muitos anos e adiei por ele. Nunca foi um projecto dele e é tudo o que eu quero. Chegou a um ponto que claramente a bolha rebentou...

    Vai sem medo
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 26.03.2019

    É o que tento fazer. Só há dias em que penso será que vamos sempre ultrapassar as diferenças e sermos felizes como somos agora?! Tento não dar importância até mesmo para isso não me influenciar mas pronto. Às vezes é difícil.
    O que te levou a "adiares" tanto tempo a tua decisão? Visto que já sabias que nunca seria um projeto dele?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.