Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Desafio | Passa-Palavra #Almofada- Texto da Maria

A Maria tem um blog recheado de petiscos deliciosos que eu já sigo há muitos anos, provavelmente desde que criei o blog - ou mais coisa menos coisa - por isso 'bora lá visitar o Belita, a Rainha dos Couratos para vos abrir um pouco o apetite.

 

Como a Maria tem um blog de culinária pediu-me um espacinho aqui no Curral para também participar connosco no desafio e claramente que cedi o meu espaço, com todo o gosto. O que eu quero vocês sabem: é que participem, se divirtam e que escrevam, que escrevam muito!

 

Vamos espreitar a Almofada da Maria? 'Bora lá!

 

Deixe-me só dizer-vos que adorei o conto, e que sim, que deveremos todos ter com quem partilhar as nossas almofadas!

 

_________________________________________

 

Recostou-se na almofada de penas de ganso. Teria que avisar o intendente do castelo que os criados estavam a falhar nos seus deveres.

Será que não viam, sem ser necessário apontar-lhes o óbvio, que usar as penas grandes e rijas dos gansos, patos e cisnes para almofadas e mantas era um disparate? Para isso existiam as penas pequeninas, mais uns flocos de pelo do que penas na realidade. Essas sim deixavam as almofadas macias, tão balofas que quando pousávamos a cabeça em cima delas parecíamos afundar numa nuvem.

O que lhe fazia falta era uma mulher para tratar disso, dessas coisas do castelo, das ementas, das limpezas, das roupas. E para partilhar a macieza das boas almofadas.

No entanto, passava tanto tempo em batalhas que acabava por não poder apreciar nem almofada nem mulher. Primeiro porque nos acampamentos onde dormia eram normalmente pedras onde pousava a cabeça  para descansar (quando não era sentado em cima do cavalo). Depois porque as mulheres com quem tinha estado eram meretrizes que apenas serviam para descarregar a adrenalina das batalhas, ou alguma criada mais roliça e que não desdenhava o senhor do castelo numa sortida rápida e de alívio imediato, mecânico. Mas essas nunca franqueavam o seu quarto, esse lugar era sagrado.

Com um suspiro pensou que da próxima vez que fosse à presença do rei lhe pediria que lhe arranjasse casamento com alguma dama. Afinal era o campeão das suas batalhas e já lhe tinha granjeado mais riquezas que todos aqueles pomposos que viviam às suas custas no palácio.

Sim, estava decidido, aquelas almofadas precisavam de ser partilhadas.

 

_________________________________________

Desafio passa-palavra criado pela Mula e pela Mel. Todos os domingos e durante - para já - oito semanas, sairá uma palavra para vos inspirar a escrever sobre ela. Quem quiser é livre de se juntar a nós, sem compromissos ou prazos apertados. Escrevam, porque escrever liberta a alma. A quem participar nos seus blogs, aqui as meninas pedem apenas que nos identifiquem nas publicações, para podermos ir ler-vos e comentar-vos! Bom desafio a todos o que connosco embarcam.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.