Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Autosabotagem

autossabotagem.jpg

 

Dou por mim, algumas vezes, a sabotar-me. Arranjo constantemente desculpas para não avançar quando tenho medo de falhar. E a melhor forma de não testar, é arranjar desculpas que impeçam a mudança. Suponho que somos todos mais ou menos assim - ou então não -, mas creio que por vezes exagero. Considero-me uma pessoa corajosa, aventureira mas tenho muito medo da mudança. Para ir, para arriscar, implica não pensar e usar os meus instintos mais primários. Quando penso, quando faço um balanço entre os prós e os contras, frequentemente congelo.

 

A vida tem-me demonstrado que sou bastante adaptativa. Que faço aquilo que me proponho sem grandes efeitos colaterais, no entanto, e ainda assim sinto que sou uma pessoa avessa à mudança. Dei por mim a desejar não ser chamada para um emprego - em tempos! - porque o tipo de trabalho era totalmente diferente - apesar de ser o que queria... tão coerente! - e ter de fazer um horário diferente, e um percurso diferente de carro. Dou por mim a ter medo de me estabilizar porque, e se amanhã eu não quiser estar estável? Em suma dou por mim a ter medo de tomar decisões por medo de me arrepender e a desejar internamente manter-me igual, porque o igual eu já conheço, mesmo que o igual não me traga felicidade, mas traz-me confiança porque já conheço. E o conhecido traz conforto e... quem é que não gosta de viver confortável?

 

Por estas e por outras dou por mim a esperar que seja o tempo a resolver por mim. É o logo se vê. E por isso dou tantas vezes por mim a querer algo e a desquerer ao mesmo tempo. "Tomara que não funcione", mas se funcionar eu vou, porque eu sei e toda a gente sabe que é o que eu quero. "Eu não consigo!" Quando já me provei por A + B que sim, que consigo, que é possível, que ultrapasso. E estranhamente tantas vezes dou por mim a ficar feliz por não conseguir ter algo que desejava. E vice versa. Quão macabro é isto?

 

Tomei consciência disto há muito pouco tempo, e  dou por mim a lutar internamente para que isto assim não seja, qual telespectadora revoltada de novela, mas é algo tão inconsciente... Tão difícil de controlar.

 

Dou por mim a perceber que tenho mais medo do desconhecido do que de aranhas. E olhem que eu tenho mesmo muito medo de aranhas.

 

Sinto-me tantas vezes um bicho estranho...

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 12.02.2020

    Eu até aprendo rápido e tenho uma estranha capacidade de me adaptar a novas rotinas que às vezes até me assusta. Por exemplo: Ter voltado para minha casa, para o meu quarto de infância 10 anos depois foi estranhamente natural, apesar de toda a minha vida ter dado uma volta de 280º, uma semana depois é como se tivesse sido sempre assim, a rotina causava-me estranheza na alma mas não no corpo, rapidamente apanhei o piloto automático. Mas a verdade é que mesmo sendo assim, há sempre aquele medo de : "e se desta vez for diferente e eu não conseguir?"...

    Por isso prefiro viver por impulso, e depois se não conseguir, olha... logo se vê, alguma coisa se há-de arranjar, mas se pensar de mais, não vou, congelo.

    (adorei o gif pá!!! )
  • Imagem de perfil

    Sofia 13.02.2020



    É uma canção dos Paramore, Caught in the Middle.
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.