Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

As mensagens que as novelas passam...

Estava encatrafiada no sofá, entre o tédio e a depressão e deixei-me estar a ver os Morangos com Açúcar. Como qualquer adolescente, segui esta série sem perder um capítulo e por isso achei graça rever alguns episódios numa maratona que durou algumas horas no domingo. Numa das cenas, um moço pediu uma moça em namoro e apesar da moça gostar do moço disse "tenho de pensar" e recordei-me como este pensamento me perseguiu durante imenso tempo durante a minha adolescência. Nos filmes e nas novelas as mulheres nunca diziam logo que "sim", sob pena de parecerem vulgares e/ou oferecidas.

 

Quando fui pedida em namoro pela primeira vez, no auge dos meus incríveis 12 anos, assim fiz, porque assim vi que se fazia. "Não sei... Tenho de pensar... " disse eu, do alto da minha grande sabedoria qual mulher experiente e adulta. Pois que sabia muito bem, andava atrás dele há meses, e ele andava há meses a levar-me todos os dias a casa, por isso sonhava com aquele pedido há séculos e mesmo assim disse "não sei... tenho de pensar...". Pior, o pedido aconteceu a uma sexta-feira, por isso tive todo o fim-de-semana numa camada de nervos, e foi um fim-de-semana eterno, que nunca mais terminava. Mas as novelas eram claras: menina que é menina não podia demonstrar logo assim tanto interesse, tanto desejo.

 

E assim continuou, sempre que era pedida em namoro ou diziam que gostavam de mim - mesmo que fossem correspondidos - fazia-me de rogada por muito que isso me causasse taquicardia e ansiedade... Mas era assim que as novelas ensinavam...

 

... Se fosse hoje as coisas seriam muito diferentes.

 

E vocês, que coisas parvas faziam/fizeram por causa das novelas?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.