Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

A Mula e a Meo!...

Ou deverei dizer... a mula da meo?

 

Ontem estava em casa sem nada de mais útil para fazer, e decidi ligar para a linha de apoio à sanidade mental com o slogan ligue são, desligue insano, mais conhecida pela linha de apoio técnico meo.

 

Há já alguns dias que verificava uma lentidão excessiva na internet cá de casa, e com dois computadores ligados ao mesmo tempo, a coisa estava a ficar pior, e ontem que até nem estava muito bem disposta - não há melhor altura para ligar para esses locais - decidi assim tentar perceber o que se passava.

 

1ª Chamada:

A miúda atende, com voz trémula, explico-lhe que apesar de ter um serviço de 30mbps contratados, a velocidade fazia lembrar os antiguinhos modems de 56kbps e que isso me estava a tirar do sério. "Vou verificar" disse com convicção. Após ter pedido umas 50 vezes para aguardar mais um momento, e após 10 minutos de espera, regressa dizendo-me que tinha que ligar com outra linha, que "afinal, não é" do seu departamento. Desbocada e impulsiva como sou, a única frase que ocorreu foi "Foram precisos 10 minutos para me dizer que não era nada consigo????". A miúda atrapalhada lamenta, e despede-se cordialmente como se nada se tivesse passado.

 

[Enquanto prosseguia com a segunda chamada, recordei-me da minha primeira chamada, no meu terceiro ou quarto dia, de trabalho em call center. Era uma chamada simples, a senhora apenas queria saber qual o número a ligar para ser esclarecida sobre a sua facturação e eu com os nervos não percebi nada da pergunta e demorei para aí uns 15 minutos até lhe conseguir fornecer um número de apenas 5 algarismos. Senti-me, assim injusta com a miúda de voz trémula que, poderia ser simplesmente o seu primeiro dia de trabalho, e eu fui uma das muitas pessoas incompreensivas. Ou então, não é nada disto, e a miúda não tinha apenas jeito para a coisa.]

 

2ª Chamada:

Como a miúda de voz trémula não conhecia o conceito de transferência de chamada, lá tive eu de voltar a ligar, desta vez para um outro número, que é a mesma coisa que voltar para trás de uma fila de espera de um mesmo departamento, mas numa janela ao lado. Voltei a explicar toda a situação, e cada palavra que proferia, sentia cada vez menos paciência e cada vez mais tensão na voz. "Vou verificar" ouço uma vez mais. Desta vez a menina já não parecia caloira, e soube dirigir a conversa, disse ter feito uma série de testes inconclusivos à minha ligação, e que teria de transferir a chamada para um outro colega que "com certeza irá conseguir perceber o que está a acontecer.". Fui assim transferida.

 

3ª Chamada:

Felizmente a colega anterior, como prova da sua experiência e sabedoria, transferiu explicando a situação ao colega, e poupou-me a uma nova explicação. Parecendo que não, isto deixou-me bastante mais calma. O  moço, que não deveria, como eu, ter nada mais interessante para fazer, esteve quase uma hora comigo ao telefone, mandou-me fazer tudo e mais alguma coisa ao router lá de casa, indicando-me que verificava realmente uma anomalia qualquer na rede, mas que após "todos estes procedimentos, a situação deverá ser ultrapassada". Apesar de ter contratados 30Mbps estava apenas a conseguir 11mbps, o que é uma diferença enorme. Após liga cabo, desliga cabo, liga modem, desliga modem, troca cabo, destroca cabo. A velocidade da internet retomou à normalidade... mas apenas no computador do Mulo. "Melhorou, realmente melhorou, mas no meu continua um pouco retardada..." riposto. Mais teste aqui, mais teste ali, conclui-se que o problema também estava no meu computador. "Como no meu computador???? Ele nunca deu problemas....!". Explicou-me em termos técnicos, coisas que eu lá fui compreendendo, e realmente a explicação tinha lógica. Não tive outra solução, se não resignar-me.

 

Tal como uma mãe não admite que digam mal dos seus filhos, eu não admito que digam mal das minhas coisas, mas tive que me render às evidências. O meu computador tinha uma doença qualquer, e estava-me a desiludir. O moço, muito atencioso, e experiente, disse-me uma linha para a qual eu poderia ligar para obter apoio informático, informando-me de todos os custos. Após saber que teria um custo de 45 cents por minuto, meti pés ao caminho, que mais do que preguiçosa, sou poupada, e comecei a investigar o que poderia ser. Após testes, testes e mais testes, que eu própria apliquei ao meu filho tecnológico, lá compreendi, que o problema não estava no meu computador, mas no browser em si. Aiiii Google Chrome que já foste tão jeitoso e agora me andas a deixar ficar mal...

 

Mas eu sou bastante paciente e lá encontrei uma ajuda que me permitiu reconfigurar totalmente o cromo do chrome e apesar de não conseguir os 30Mbps que o Mulo alcança, já consigo uns bons 20Mbps, o que já me deixa bastante feliz.

 

Pelo  meio ainda descobri que...

Que devido a uma alteração de titularidade de um dos contractos que estavam no nosso nome - tínhamos dois - que nos alteraram os dois contractos, e que agora não temos nenhum no nosso nome... Apesar de garantir que a meo já tinha assumido esse erro, o moço garantiu que o processo já tinha sido fechado, e que não nos tinha sido dada razão, apesar de termos o contracto assinado de alteração APENAS PARA UM dos contractos, nada tendo sido feito relativamente ao outro... O moço acrescenta que não entende o motivo de não terem corrigido a situação e aconselha deslocação novamente à loja para resolução do problema.

  

O que é que podemos concluir com estas três chamadas e a nova descoberta? Que há bons e maus profissionais em todo lado, que às vezes só temos que ter paciência com quem está aprender, e que há muitos cabrões em backoffice, que não perdem se quer dois segundos a olhar para os documentos que lhes são facultados.

 

E é isto... por hoje!

Até amanha*

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.