Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Coisas que só a mim... #2

Fui para o ginásio mas esqueci-me de levar a minha garrafa de água. Como é impossível para mim estar a saltar e a correr sem ter abastecimento líquido, tive de encontrar uma alternativa. Felizmente tinha trocos na carteira e então fui às máquinas tirar uma garrafa de água.

 

 

 

Confesso que às vezes me sinto uma velha. E nestas coisas das máquinas de vending todas digitais, é uma dessas situações. Máquina toda XPTO, dá para tirar snacks e bebidas quentes. Percebo como se tiram as bebidas quentes, não percebo como se tiram os snacks - e as respetivas garrafas de água. Olhei, olhei, olhei, respirei fundo, disse para mim mais de umas vinte vezes "tu não és burra, esta máquina não é melhor que tu, vais descobrir como é que a coisa funciona!" e a coisa lá se deu e eu lá percebi como é que a coisa iria funcionar. Escolho a minha garrafa de água, coloco o dinheiro na máquina e...

 

...Nada!

 

Após voltar a repetir "tu não és burra, esta máquina não é melhor que tu, tu vais vencer esta máquina" mais umas cinco vezes, entendi que a máquina primeiro aceitava o dinheiro e só depois é que tínhamos de selecionar o produto pretendido. Piece of cake! e lá carrego no botão correspondente do meu snack. Só que não! Para a coisa ter funcionado assim, como era meu desejo, eu teria de ter voltado a selecionar snacks, mas não, a máquina estava novamente no menu inicial que é o quê, tentem lá adivinhar? Exatamente: Bebidas quentes!

 

E foi assim que eu bebi um capuccino - carregado de leite! - antes de uma aula de pula, corre e avança e onde quase morri! Saí de lá mais branca que a cal, nem banho tomei e pirei-me rapidamente para casa antes que caísse para o lado... Ou simplesmente passasse pela vergonha de vomitar em público!

 

 

 

P.S.: Mas só para que não restem dúvidas sobre a minha inteligência, à enésima tentativa, consegui comprar a água!

Coisas de ginásio que me encanitam os nervos...

Estava na aula de zumba - regressei finalmente às segundas-feiras zumbásticas! - e entra uma tipa atrasada. Dizer que estava atrasada é estar a ser simpática, porque a aula já tinha passado de meio, na realidade. Sala obviamente à pinha - daí a minha indignação - e a tipa faz o quê?

 

Fica no fundo da sala, como qualquer pessoa normal atrasada faria? Não!

 

Arranja um cantinho algures onde não fosse muito notada, como qualquer pessoa com dois dedos de testa, atrasada, faria? Óbvio que não!

 

Fura a fila, interrompe mais de uma dúzia de pessoas que estão a dançar para ir para a frente para simplesmente ocupar o lugar que outrora fora de outra pessoa? Óbvio que sim!

 

 

A sério, digam-me o que é que esta malta tem na cabeça? Sugestões requerem-se!

Uma espécie de curta do dia #14

Sabem, nas compras online, aquela peça que adoramos mas que está esgotada? Aquela peça que passamos horas a olhar - alguns minutos vá, também não vamos exagerar! -, apesar de sabermos que nunca vamos poder comprar, porque simplesmente está esgotada? Aquela peça que apesar de estar esgotada e não ser uma opção, nos faz ter a certeza - mesmo sem a ter na realidade - de que era mesmo aquilo que queríamos e precisávamos e que parece estar à distância de um clique, só que não?

 

Às vezes fazemos o mesmo na vida: continuamos a colocar na balança pessoas, questões e situações, que não são se quer uma opção.

Coisas que acontecem por cá... #6

Quando acharem que este mundo ainda tem cura e que a humanidade ainda tem solução, pensem de novo: Já não há solução possível. As pessoas estão simplesmente a pirar da cabeça de modo irrecuperável.

 

A próxima história poderia ser anedota. Teria até piada se fosse anedota, só que aconteceu aqui na terrinha da Mula, e sendo uma história real perde a sua piada...

 

Uma pessoa chegou ao seu local de trabalho logo de manhã e deparou-se com um carro ligado, mal estacionado e de vidro aberto, mas sem ninguém. "Por certo é alguém que já vem". Pensamento óbvio. Quem pensaria de modo diferente? Claro, ninguém. Só que às três da tarde esse carro continuava ligado, mal estacionado e de vidros abertos. Até que chamaram a polícia que interveio desligando o carro, trancando-o e ficando com a chave deixando um papel para a pessoa ir à esquadra levantar a dita.

 

O carro teria sido roubado? Teria alguém morrido? O que foi feito do condutor?

 

Ao final do dia descobriu-se que era de uma senhora que trabalhava ali perto, que por certo chegou atrasada - imagino que bastante atrasada - e com o desvaire ali deixou o carro naqueles preparos sem olhar para trás...

 

E é isto: As pessoas estão suficientemente doidas para saírem de um carro, irem trabalhar e não o imobilizarem devidamente e em segurança!

 

Não antevejo um futuro muito brilhante...

Operação Respirar #4 Mês e meio depois

Se houve alturas em que estava desgosta com a operação, porque estava com muitas dores, com a cara deformada, com o nariz inchado e com todo o ego e autoestima em baixo, agora, mais de um mês e meio depois, volto a reforçar que foi a melhor opção que tomei.

 

Ainda não estou a 100%. O nariz ainda está ligeiramente repuxado e anestesiado - tenho de fazer massagens diárias, tipo fisioterapia, para a pele ganhar elasticidade  -, ainda não me consigo assoar devidamente e se algo me tocar no nariz, confesso que ainda é desconfortável. No entanto, e do ponto de vista da respiração continua fantástica, continuo a respirar integralmente pelo nariz sem qualquer tipo de auxílio ou medicamento, e esteticamente é como se nada tivesse acontecido. Por isso, tudo perfeito.

 

Foram semanas bem horríveis, confesso, dias em que me apetecia chorar de manhã à noite, dias e dias em que me arrependi, em que dizia para mim mesma "tomar corticóides a vida toda se calhar não era  assim tão mau!", mas agora, mesmo olhando para trás, mesmo me lembrando - ainda é um sofrimento muito presente! - de tudo o que passei, o resultado compensa todo o esforço. Quem me dera ter-me submetido a esta operação mais cedo - agora já teria passado! - porque sinto que ganhei anos de vida. Nada paga as noites mal dormidas, as dores de cabeça com que sempre andava, o cansaço que sempre acusava por não ter uma noite descansada.

 

Confesso que me meteram ao longo do tempo muito medo da operação: "porque não resulta a 100%", "porque a longo prazo vais voltar a ficar igual", "porque o pós-operatório não compensa o resultado", entre muitas outras. Não sei se vou voltar a ficar igual ou não, ou se me submeti a este sofrimento em vão, só o tempo dirá. Não sei se resulta a 100% ou não, mas comigo se não resultou a 100%, resultou a 99%. Realmente ainda pode ser muito cedo para falar sobre os verdadeiros resultados, mas o que eu sei é que agora durmo uma noite completa sem acordar a meio da noite aflita. Sei que durmo uma noite completa sem me virar e revirar na cama a tentar respirar, 80% do tempo. Sei que os meus dias são melhores, que não ando tão cansada, que consigo sentir muito mais os cheiros - confesso que aqui nem sempre é um ponto positivo - e até aquela sensação de constipação com que sempre andava, desapareceu.

 

Não sei o dia de amanhã, mas pelo que eu sinto no dia de hoje, já valeu bem a pena todo o sofrimento!

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.