Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Solidão

 

Um dos meus maiores medos é de ficar sozinha. Não agora. Agora sinto que preciso de ficar sozinha, mas amanhã, quando acordar e achar que já chega, que preciso de mais, que mereço mais. Quando esse dia chegar será um dia normal, banal e igual a qualquer outro e estarei sozinha, mas deixará de ser normal, banal e igual, porque nesse dia eu não estarei sozinha porque quero, mas porque não há ninguém.

 

Há uma diferença abismal entre estar sozinha por querer ou por não ter opção. Essa diferença abismal mete-me um medo. Um medo que me paralisa e me sufoca a alma. Sofro por antecipação. 

 

Agora a solidão é-me útil. Estive tanto tempo acompanhada que acho que me perdi por entre as palavras. Chegou a altura de me perder por entre os silêncios. Preciso desta solidão.

 

Mas assusta-me a solidão não opcional e vivo em crise.

 

Assusta-me aquela manhã, que irá chegar, em que eu acordarei à mesma hora, comerei o mesmo pequeno-almoço mas já não serei eu, novamente, como quando acordei e não era eu há dois meses atrás. Todos os dias o nosso eu muda e todos os dias somos diferentes, mas temo quando as diferenças nos obrigam a questionar, e nos obrigam a mudar e nos obrigam a tomar atitudes que moem, que doem, que fazem sofrer. Esta é a minha definição de solidão, a outra, a que vivo atualmente prefiro chamar-lhe de meditação. Porque a meditação faz bem e lava a alma, a solidão só nos apodrece e nos amarfanha.

 

Não quero viver amarfanhada...

Lutar contra o excesso de peso #24

 

 

E desde Agosto que não ia à nutricionista... Muita coisa mudou desde então... Deixei de comer, de dormir, de ir ao ginásio... Deixei de fazer um pouco de tudo, e confesso que pensei que os resultados fossem desastrosos porque comecei logo a imaginar a minha massa muscular a perder-se para o infinito, e a massa gorda a tomar conta do meu corpo.

 

Mas não foi assim.

 

Claro que perdi um pouco de massa muscular - mas nada de significativo - mas perdi essencialmente gordura. Parece que as desilusões amorosas têm efeitos especiais sobre a gordura corporal humana.

 

E eis que em dois meses perdi mais 2kg e centímetros vários. Faltam 5kg para o objetivo final, ainda que, atualmente o meu objectivo não é o número da balança mas as medidas. Ainda tenho muita barriga. As coxas já não me preocupam porque até gosto de ter uma coxinha que se veja, mas barriga não... E parece que não há maneira da desgraçada me abandonar o corpo...

 

Parece que apesar de tudo as coisas até nem estão a correr mal, mas claro que agora nesta nova fase da minha vida as coisas não estão fáceis. Tenho de reerguer rotinas, estados de alma. Criar novas rotinas, novos objetivos e não é a melhor altura para ser restritiva ao nível alimentar. A nutricionista concorda e mandou abrandar. A nutricionista concorda e mandou ouvir um pouquinho o meu corpo. É preciso ter alguns mimos, mesmo através da comida. Tudo de forma controlada claramente. Só me proibiu de comer uma coisa como se não houvesse amanhã... Gelados? Não... Não como gelados como se não houvesse amanhã. Chocolate? Não, agora até um chocolate pequeno - daqueles de dose individual - me dá para dois ou três dias... Pão? Nada disso. Frutos secos minha gente! Ando viciada e ando a descontar nos frutos secos!

 

A mãe está a ajudar a comer saudavelmente: faz muito peixe, muitos legumes, e há sempre fruta para sobremesa. Há gelados claro. E só quem nunca comeu um gelado - será que existe? - é que não sabe o conforto que proporciona um gelado. Raramente como pão, parece que me libertei finalmente da gula do pão.

 

Mudei de ginásio, já lá fui algumas vezes mas não as vezes devidas, ainda não interiorizei a rotina ginásio como deve de ser, mas esta semana quero ir com força. Usar e abusar do exercício físico é preciso. Corpo ocupado mente tranquila! Preciso urgentemente de regressar a TRX... Sentir-me morta em TRX no ginásio, é sentir-me viva no dia seguinte na vida.

 

E a vossa luta como está? Aproveitem bem o inverno para lutarem pelo vosso corpo de verão! 

Desafio de Cinema | 52 filmes em 52 semanas

#45 Filme Japonês

Os filmes com o Jackie Chan contam? Não não contam, o Jackie Chan é chinês e os filmes em que ele entra são na maioria americanos...

 

Então olhem... Não sei. Acho que nunca vi nenhum filme japonês. Já vi alguns remakes de japoneses, mas nunca o original... Queria muito ver o filme do livro Contigo para Sempre mas ainda não encontrei legendas por isso está complicado.

E se..

Somos felizes fazendo os outros felizes. E se isto fosse suficiente? E se vocês gostassem mesmo muito de alguém e quisessem mesmo muito a felicidade dessa pessoa? E se soubessem que bastaria uma palavrinha vossa para que essa pessoa fosse feliz? Dir-lha-iam sem pestanejar, claro. E se essa palavrinha custasse a vossa felicidade?

 

E se pensássemos menos e vivêssemos mais?

 

Seríamos mais felizes se não pensássemos tanto e vivêssemos mais...

Por vezes achamos que estamos sozinhos...

A minha mãe tem dois gatos - a Kika e o Simba - que para desgosto dela quando vim para cá morar passaram a colar-se a mim, onde eu estou, lá estão eles, mesmo quando eu acho que não.

 

Um destes dias estava sozinha na sala, a mãe já em baixo a dormir e eu achava que estava sozinha. Pensei cá com os meus botões "bem, hoje nenhum deles quer saber de mim..." e eis que um espirra e a outra espreguiça-se e fizeram os dois barulho e eu assim descobri que mesmo não estando colados a mim estavam a fazer-me companhia discretamente.

 

Com os amigos também é assim.

 

Por vezes os nossos amigos não são as pessoas com quem falamos todos os dias, que vemos todos os dias, com quem teclamos todos os dias. Tantas vezes eles estão connosco mesmo sem estar e basta um pequeno tremelicar nosso e eles estão logo ali à espreita para nos amparar em caso de queda...

 

E é tão bom quando assim é!

 

Por vezes achamos que estamos sozinhos... Mas depois a magia acontece!

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: Halloween

Parece que o Michael Myers está de volta e em vésperas de halloween fui ver o Halloween. Quem desse lado é fã da saga?

 

 

Michael Myers, 40 anos depois de ter atacado Laurie Strode, é transferido para outra prisão e durante a transferência consegue, uma vez mais, escapar. Laurie preparou-se durante toda a sua vida para o encontro, e chegou a hora de ajustar contas com o homem que lhe estragou, irremediavelmente, a vida. Ela não sabe onde ele está, mas sabe que está à procura dela.

 

Achei curioso manterem o estilo de filme, a música, a forma de construção do enredo. Não é um filme inovador, não é um filme terrorífico, mas promete algum suspense, e entretém. A primeira parte do filme achei-a aborrecida, confesso, demasiado longa, demasiado descritiva, e ainda demora até nos colar à cadeira, o verdadeiro suspense só ocorre depois do intervalo, mas depois vai direitinho até ao final do filme. Mas confesso que esperava um filme mais emocionante, com mais terror, com mais movimento.

 

Este filme fez-me lembrar o porquê de eu tanto odiar máscaras, e o carnaval e o halloween. Digam o que disserem, usar máscaras é perigoso, não ver quem está para lá de uma máscara é perigoso. Oh Mula é só um filme! É só um filme mas poderia não ser... 

 

Mas pronto, se procuram entretenimento este filme permite entreter quem gosta de algum terror algum suspense - e tem muitas cenas nojentas digo desde já aos amantes do macabro - mas se querem ficar aterrorizadamente colados à cadeira, acho que este não é o filme.

 

Quem é que já viu ou vai ver?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.