Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Às vezes acho-me moça vivida e experiente...

... Mas depois acontece sempre alguma coisa que me faz ver que ainda não vi nada nesta vida!

Trabalho numa zona industrial com bastante prostituição, inclusive diurna e durante o confinamento foi uma zona que esteve bastante calma, mas que agora por estes dias começa a ficar muito mais movimentada. Suponho que inclusive para as meninas que por aqui andam na rua.

 

Estava descansada junto ao meu carro na hora de almoço a apanhar um pouco de vitamina D, no parque empresarial onde trabalho, e vem uma dessas moças de gilete na mão a falar em voz alta:

 

E agora, com tanto carro aqui estacionado onde é que eu vou fazer a depilação? 

 

Sou muito expressiva, quem me conhece sabe que o que eu não digo a minha cara transmite, e lá devo ter feito uma cara de assustada ou algo semelhante, que ela fala diretamente para mim:

 

Ó menina, é que tem mesmo de ser, fui apanhada desprevenida!

 

E pronto, felizmente a conversa ficou por aqui.

Uma espécie de curta do dia #81

Inscrevi-me num curso de contabilidade em pós laboral para obter mais conhecimentos na área, já que é a área em que trabalho e cuja experiência que tenho é quase nula.

 

As pessoas adoram contabilidade, é a conclusão a que chego. Adoram tanto que o curso já foi adiado 4 vezes por falta de inscrições... E são só necessárias 15.

 

Assim como assim, que contabilidade por si só não era suficientemente aborrecida... Nos entretantos vou fazer um curso de análise financeira. Desejem-me sorte, que bem vou precisar, e de café, muito café!

 

edit: Disse fiscalidade? Credo! Estou mal mas não tanto...

Coisas que acontecem por cá...#16

Recordam-se deste consultor? Pois que está visto que me vai proporcionar imenso conteúdo fantástico.

 

Vem para a minha beira fazer uma chamada, uma VIDEO-chamada para ser mais precisa. E até aqui tudo bem - tudo mal na realidade, que eu gosto de trabalhar em sossego e ter gente ao lado a berrar para o telemóvel não é propriamente o meu sonho de dia de trabalho, mas adiante... - está ali o senhor a falar, em videochamada com alguém e de repente esse alguém pergunta-lhe - sim, porque para além de ser em videochamada, phones também é algo que ele não possuía:

 

"Mas como disse mesmo que se chamava?"

 

Fiquei confusa: Como assim, há quem ligue para pessoas em modo vídeo sem conhecer a pessoa?

Estou indignada

Estava tranquilamente em casa quando recebo um chat de uma prima minha, com a partilha de um blog com fotos da aldeia, e fotos minhas e da minha mãe, quando eu era miuda. Algumas fotos estão em contexto de festa, com várias pessoas à volta, não vejo qualquer maldade na publicação, no entanto,  uma delas - pelo menos, a que eu vi - é um retato meu, com dois anos, com a minha mãe ao lado e a minha prima mais nova ao colo. Foto essa que faz parte do meu arquivo pessoal!

 

Estou indignada, não entendo como alguém fora da família - ninguém sabe quem é o sujeito - tem fotos antigas minhas e da minha família, e pior, a lata que teve em publicar sem saber quem são as pessoas e sem qualquer consentimento.

 

Se os bebés e crianças das fotos hoje são adultos? São! Mas ninguém tem o direito de publicar fotos nossas sem o nosso consentimento. Na era do digital é normal e não dá para controlar o que cai na rede e o que anda de mão em mão, mas expliquem-me lá, como se eu fosse muito burra, como é que uma foto-retrato familiar foi parar em mãos alheiras - foi propositado, tá?

 

Se o contexto pode não ter maldade? Pode, e não tem, mas ainda assim pretendo obter justificações e já contactei o senhor do Blog! Aguardo novidades, mas não sei se as irei obter...

Queda de cabelo - Balanço

imagem retirada daqui

 

E já se passou mês e meio desde que iniciei o tratamento para a queda de cabelo. Sei que, normalmente, vemos grandes alterações apenas ao fim de três meses de tratamento, mas a verdade é que as melhorias já são visíveis.

 

Relembrando: Ataquei a descamação agressiva do couro cabeludo com o champô da Nizoral - que poderia ser uma das grandes causadoras da queda - e para a queda propriamente dita ataquei com comprimidos da Ecophane assim como champô da mesma marca.

 

Ora portantos... Descamação do couro cabeludo, dizimada. Palminhas!!! Relativamente à queda, reduzi em mais de 50% a queda de cabelo no banho. Há mais de uma semana que não fico com molhos de cabelos na mão e o ralo já não lembra a banheira do veterinário após banhoca de um S. Bernardo. A secar o cabelo já não há cabelos à comercial - na parede, no tecto em todo o lado - e mesmo durante o dia já não tenho a roupa sempre carregada deles. O que verifico é que ainda caem bastantes ao pentear-me - claro que irão sempre cair, mas a ideia é que caiam o mínimo - mas já consigo denotar alguma evolução no crescimento, parece que está a desempanar e até o moço um destes dias perguntou-me se tinha lavado o cabelo - e tinha! -, porque não via os meus cabelos todos espalhados no chão como habitual.

 

Portanto se o tratamento é de três meses, e se é ao fim de três meses que se vêm os verdadeiros resultados... Venham eles, a ver se é desta que fico com uma cabeleira densa e forte...

 

 

 

 

 

 

... Para voltar a mudar a cor do dito que este castanho escuro já me começa a cansar! Assim como assim, acrescentei ao rol de produtos umas ampolas para aplicar três vezes por semana para ver se acelera ainda mais.

 

 

P.s.: Eu sei que não aprendo nunca.

Não lido bem com a lei da vida

Nem com o curso natural da natureza

Vocês sabem que adoro animais. Quase todos. Adoro quase todos. Excluindo aqueles que rastejam, com demasiadas patas. E cobras, também não gosto de cobras, apesar de não terem patas. Gosto de ver documentários fofinhos de animais selvagens, mas lido muito mal com a parte da lei da sobrevivência em que animais matam outros animais para comer, sei que tem de ser, mas não sou fã dessas partes.

 

E estou a contar-vos isto porquê?

 

Eu tinha um ninho de pardais na minha laranjeira. Vimos o ninho, depois apareceram lá os ovinhos e depois os passarinhos... Eram três. Primeiro sem peninhas, agora mais recentemente com as penas já aparecer. A mãe constantemente a visitar o ninho, alimentava-los, estavam a crescer bem. Comecei a temer que o Hachi lhes fizesse mal, mas como ele não anda assim tanto no jardim, fiquei mais ou menos tranquila, iria tudo correr bem. Assim como assim, se me apercebesse que eles iriam começar a tentar voar iria prender o Hachi cá em cima, só para garantir. Mas eles ainda eram muito pequeninos, longe de mim achar que iriam tentar sair do nininho tão cedo...

 

O Hachi comeu os passarinhos... um por um... não sobra nenhum no ninho. Eu apanhei-o com um, e a mãe apanhou-o com outro, e o terceiro ninguém sabe, por isso pressupõe-se o mesmo fim.

 

Estou devastada! O meu cão não passa fome. Sei que é do instinto e bla bla bla, mas a natureza deveria de ter mais respeito. Eram bebés! Provavelmente tonto como o meu cão é, nem teria destreza para apanhar um pássaro adulto, mas aproveitou-se de bebés!

 

Já andávamos a estranhar que ele não andava a comer a ração, já imaginava que andava a apanhar bicharada, mas não assim... Sei que é natural, normal e bla bla bla, mas não estou, mesmo, a conseguir lidar com isto... Pior, pelo que nos apercebemos no topo da laranjeira existem mais ninhos, não sabemos se tem ovos porque estão muito altos, nem sabemos que pássaros são - um talvez de melro - e não sei se há mais crias em risco!

 

Estou-lhe com uma raiva! Ainda vai durar a passar-me esta!

Coisas que acontecem por cá...#15

Vem um consultor pedir-me um carregador emprestado. Diz-me que tem dois telemóveis e que os dois estão sem bateria.

 

Digo-lhe rapidamente:

 

"Um consultor não pode ficar sem bateria, porque não compra uma powerbank para ter sempre, pelo menos,  uma carga extra?"

 

Diz-me ele:

 

"A nossa assistente tem uma... Peço-lhe sempre, só que ela está de férias..."

 

Eu, claramente, não me expressei devidamente. Eu não lhe disse que deveria de cravar uma power bank... Disse?

Lutar contra o excesso de peso #29

Sábado passado foi dia de colocar a pesagem em dia na nutricionista...

 

Se eu podia ter fingido demência? Fingido surpresa perante os resultados desastrosos da balança? Poder podia, mas sabendo ela da existência aqui do curral, não sei se me iria safar.

 

[Mania de botarmos tudo nas internetes pá!]

 

Podia ter tentado... Mas optei por colocar as cartas em cima da mesa, de outro modo não poderia justificar o motivo de ter perdido peso por via de perda de massa muscular e ainda ter, pela primeira vez, aumentado massa gorda e consequentemente, medidas. Não voltei à estaca zero, obviamente, mas digamos que apesar de estar mais leve, regredi um mês. Quis festejar os 33 como se não houvesse amanhã e arranjei um belo de um 33! Carrega Mula, que agora tens de perder o que devias de ter perdido no mês passado, recuperar a massa muscular que perdeste e ainda correr atrás dos resultados deste mês!

 

Apesar de ter consciência que os resultados não iriam ser do meu agrado, confesso-me chocada, porque apesar de ter cometido demasiados excessos e de ter reduzido a intensidade dos treinos, por falta de tempo, não os reduzi para zero, apenas não treinei uma semana, mas mesmo nessa semana, continuei a fazer as minhas caminhadas. Fui para a consulta carregada de dores musculares do último treino, com direito a dores nas costelas e axilas, esperava um pouco mais, confesso. Por isso, claro, fiquei um pouco frustrada.

 

Ainda assim, estou meio quilo mais próxima do meu objetivo e tenho esperança que aumentar agora a minha massa muscular não me vá aumentar o peso.

 

Para o próximo mês vemos...

Vamos falar de cenas de gaja?

Menstruações, tampões e copinhos menstruais

Sou menstruada desde os meus 11 anos - imagino que folguem em saber esta informação - no entanto, só agora mais recentemente - desde há uns dois anos para aí - é que me consegui habituar a usar tampões. De quando em vez ia tentando mas a sensação era demasiado estranha, e como sabem a ideia é que nem sintamos que os estamos a usar e eu para além de sentir, ainda me magoava. De tanto tentar e insistir lá atinei com o bicho e hoje em dia é o meu absorvente de eleição. Muito mais higiénico. Não digo que seja mais prático, porque não acho nenhum método verdadeiramente prático e limpo, mas acho mais higiénico.

 

Entretanto, entre conversas de amigas, aconselharam-me o copo menstrual. Fiquei interessada e uma amiga até acabou por me oferecer um, o mais pequeno.

 

imagem retirada daqui

 

Como já uso muito bem os tampões, achei que ia ser fácil de usar o copo menstrual. Não podia estar mais enganada. Primeiro, sou das abençoadas com um fluxo mínimo. Não podia ser sacrificada em tudo, já sou castigada nas cólicas, nas dores de cabeça e de rins, mas em compensação sofro apenas 3 dias e chego a ter menstruações em que só tenho verdadeiramente fluxo, 1 dia, pelo que é possível que não tenha fluxo suficiente para o dito e é super desconfortável. Segundo, que até deveria de estar em primeiro: Como raio se coloca aquilo mesmo? Não achei prático e praticável e tentei das mais diversas formas. Terceiro, e o mais horrível de todos, e agora peço desculpa se estou a ser demasiado visual mas... Eu uso unhas de gel, ok? Não uso umas unhas gigantes, mas também não são rentes ao dedo. Conclusão... Tirem vocês as vossas conclusões. Por último: O vácuo que cria ao retirar!! Aqui já me explicaram que deveria de ter feito de outra forma, aceito... Mas continua a ser um não.

 

Ora, até pode ser sustentável e económico, mas não achei prático ou higiénico ou confortável. 

 

Sei que as opiniões são ótimas, que imensa gente aconselha, mesmo dentro do meu grupo de amigas, conheço imenso quem use, mas não creio que seja para mim. Não digo que não voltarei a tentar, já que os tampões também foi algo progressivo, mas enquanto me lembrar desta experiência, acho que não consigo pensar em tentar, se quer.

 

E vocês, falem-me de vocês: já experimentaram? Como se dão?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.