Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: Passageiros

Já estava com saudades de ir ao cinema. Com o problema do Mulo era complicado ir ao cinema por existir tantas escadas para subir e não gostamos de ficar tão à frente. Ficamos uma vez numa ante-estreia nas primeiras filas - por não existirem mais lugares vagos -, e digo-vos, lá bem à frente ou se vê o filme e não se lê as legendas, ou se lê as legendas e não se vê o filme, não há espaço nos olhos para ver os dois em simultâneo. Mas como me ensinaram: Não se pode ter tudo!

 

Desta vez fomos ver os Passageiros que curiosamente é um filme que numa situação normal não despertaria a minha atenção, mas como sou fã da Jennifer Lawrence acabei por ficar curiosa e lá fui.

 

 

Passageiros é um filme de ficção científica que como alguns de vocês sabem, não sou fã, mas talvez por ter suspense e amor à mistura gostei bastante e convenceu-me, apesar de ter algumas situações exageradas que suponho que se tivessem realmente acontecido não seria possível, mas isso já são outros quinhentos, e filme é filme.

 

A terra está sobrelotada e é necessário começar a explorar novos planetas e povoar esses mesmos planetas de forma a poder permitir às pessoas um novo recomeço num mundo melhor. Jim é um desses passageiros que se encontra numa câmara de sono, numa viagem de 120 anos com destino ao planeta Homestead II. Tudo corria bem, e a nave encontrava-se em piloto automático estando apenas programada para que a tripulação e passageiros acordassem 4 meses antes de chegarem ao seu destino, no entanto, há um problema na nave e a cápsula de Jim deixa de funcionar e este acorda antes de tempo, 90 anos antes de chegar ao destino. Jim tenta desesperadamente voltar a dormir, caso contrário morrerá na nave antes de conseguir chegar a Homestead II, mas sem sucesso. Após um ano sozinho, desesperado, decide acordar uma outra passageira por quem se tinha apaixonado alguns meses antes: a escritora Aurora. Estes dois apaixonam-se e vivem um tórrido romance enquanto tentam salvar as suas vidas e a da nave, que começa a dar sinais de que algo não está bem, mas a descoberta de que o acordar de Aurora não foi acidental vai mudar o rumo da vida de Jim e Aurora. Será que conseguem sobreviver? Vejam o filme!

 

Este filme não é um simples filme de ficção científica, ou uma simples história de amor. Neste filme são abordadas questões que podemos transcrever para a nossa vida real. São abordadas diversas temáticas que nos colocam a pensar, e já sabem que eu gosto de ser posta a pensar. Ora se não vejamos, é retratado o egoísmo humano e o peso das decisões. É retratado o chamado sacrifício humano em prol de uma comunidade, na medida em que 5000 vidas valem mais do que uma vida, devido ao número e não à sua importância ou relevância. São tratadas questões de confiança, de respeito, da importância de sermos claros e sinceros com os demais. Mostra ainda a capacidade que o ser humano tem de adaptação e a força enorme que podemos ter no nosso interior mesmo quando não o sabemos. Mostra acima de tudo o peso que o amor tem na nossa vida e do que ele é capaz de movimentar.

 

Relativamente ao filme em si, é um filme que prende desde o início. Não tem um início muito lento, é uma história clara, contrariamente a outros filmes de ficção científica que se podem revelar mais confusos. É um filme com bastante ação desde o início até ao fim, pelo que não é em momento algum aborrecido. Tem um fim um tanto previsível, ainda que por momentos pensei que não o iria ser, no entanto, passa uma mensagem de esperança, de amor, de coragem.

 

Não é o típico filme de ficção científica com homens com orelhas pontiagudas e roupas esquisitas, é um bom filme, se tiverem oportunidade não o percam, é um daqueles filmes que pela imensidão da imagem merece ser visto no cinema. Vale muito a pena! Adorei!

 

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 30.12.2016 11:38

    Verdade o que dizes. Mas gostei de ela ficar porque de que nos serve ir sem amor? A nossa casa é onde somos felizes. Lembrei-me muito do filme da Lagoa Azul (que amo de paixão) e talvez por isso tenha gostado. Achei a história bonita e com questões que vale a pena pensar. Só fiquei  WTF no final com as galinhas, foram desencantar as galinhas donde hein? xD
  • Imagem de perfil

    Fátima Bento 30.12.2016 11:40

    Podes crer... as galinhas... nenhum deles era geneticista, senão até podiam ir por aí... se calhar também iam adormecidas...
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.